Fenologia e visitantes florais de Erythrina crista-galli L. (Leguminosae: Faboideae) em Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil

Autores

  • Raimunda Alice Coimbra Vieira Costa Universidade Federal de Santa Maria – UFSM
  • Ana Beatriz Barros de Morais Universidade Federal de Santa Maria – UFSM

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n2p51

Palavras-chave:

Chlorostilbon aureoventris, Erythrina crista-galli, Fenologia, Trigona spinipes

Resumo

Erythrina crista-galli é uma espécie característica do bioma Pampa, também usada com fins ornamentais em arborização urbana. E. crista-galli  floresce mais intensamente de novembro a dezembro. A antese inicia entre 7h-11h, e as flores têm duração de cinco dias. Um total de 1.275 visitas florais foi registrado em 57h de observações. Abelhas da família Apidae (Trigona spinipes e Apis mellifera) foram os visitantes fl orais mais freqüentes (88,23%), seguidos de moscas (Muscidae – 5,50%), formigas (Formicidae – 2,35%), vespas (Vespidae –  1,56%) e besouros (Chrysomelidae – 1,56%). As flores também foram visitadas por beija-flores da família Trochilidae (Chlorostilbon aureoventris) (0,79%). A abelha T. spinipes foi observada em todos os horários e apresentou comportamento de possível polinizadora, juntamente com A. mellifera e o beija-fl or C. aureoventris. E. crista-galli é autocompatível, apresentando produção de frutos e sementes após a polinização manual e sob condições naturais.

Biografia do Autor

Raimunda Alice Coimbra Vieira Costa, Universidade Federal de Santa Maria – UFSM

possui graduação em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS pela Universidade Federal do Amazonas (2000) , especialização em Biologia pela Universidade Federal de Santa Maria (2005) e mestrado em BIODIVERSIDADE ANIMAL pela Universidade Federal de Santa Maria (2006) . 18/08/09Certificado pelo autor em 18/08/09

Ana Beatriz Barros de Morais, Universidade Federal de Santa Maria – UFSM

Possui graduação em Ciências Biológicas Licenciatura e Bacharelado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1980), e mestrado (1986) e doutorado (1997) em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Santa Maria, onde leciona disciplinas de ecologia geral, biologia da conservação e diversidade de insetos para alunos de Graduação em Ciências Biológicas e Pós-graduação em Biodiversidade Animal. Trabalha em pesquisa na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia de Insetos, atuando principalmente nos seguintes temas: bioecologia de insetos, diversidade e conservação de borboletas, insetos visitantes florais, interações inseto-planta e interações tri-tróficas.Certificado pelo autor em 28/03/11

Downloads

Publicado

2008-01-01

Edição

Seção

Artigos