“Peixe sabido, que enxerga de longe”: Conhecimento ictiológico tradicional na Chapada Diamantina, Bahia

Flávia de Barros Prado Moura, José Geraldo Wanderley Marques, Eliane Maria de Souza Nogueira

Resumo


O conhecimento ictiológico tradicional de uma população de pescadores   da Área de Proteção Ambiental (APA) de Marimbus-Iraquara (Bahia,  Brasil) foi estudado neste trabalho. Os dados foram obtidos por meio de entrevistas livres e semi-estruturadas, observações diretas, turnês  guiadas e coletas de material zoológico. O conhecimento sobre compor-tamento de 21 espécies de peixes é apresentado. Os fenômenos etológicos percebidos e descritos pelos pescadores foram agrupados em  17 etnocategorias etológicas as quais se relacionam com: reprodução,  comportamento de fuga, predação, comportamento social, ou ainda a respostas a estímulos artificiais. Os resultados revelam a existência de  um amplo conhecimento ecológico tradicional sobre as espécies e os ecossistemas locais, particularmente no que se refere à ictiofauna.


Palavras-chave


Chapada Diamantina; Conhecimento tradicional; Etnoecologia

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n3p115

Direitos autorais 2008 Flávia de Barros Prado Moura, José Geraldo Wanderley Marques, Eliane Maria de Souza Nogueira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.