Aspectos fisiológicos da toxidez de ácidos orgânicos em sementes de aveia

Autores

  • Lilian Madruga de Tunes Universidade Federal de Pelotas
  • Franciéle Olivo Universidade Federal de Pelotas
  • Pablo Gerzson Badinelli Universidade Federal de Pelotas
  • Alexandra Cantos Universidade Federal de Pelotas
  • Antonio Carlos Souza Albuquerque Barros Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n4p21

Palavras-chave:

Avena sativa L., Sementes, Ácidos orgânicos, Toxidez

Resumo

Para que o cultivo da aveia (Avena sativa L.) seja também alternativo economicamente viável em solos de várzea, faz-se necessário a utilização de cultivares tolerantes aos principais ácidos orgânicos produzidos pela decomposição da matéria orgânica gerada em cultivos com plantio direto. O objetivo deste trabalho foi determinar a faixa de concentração e as respostas fisiológicas para serem utilizadas na cultivar UPF 16 para tolerância a ácidos orgânicos. Foram estudados os efeitos de cinco concentrações dos três principais ácidos formados no solo: ácido acético (0; 4; 8; 12 e 16mM), ácido propiônico (0; 4; 8; 12 e 16mM) e ácido butírico (0; 2; 4; 8 e 12mM). Os testes realizados foram o de germinação, comprimento da parte aérea, comprimento da raiz, massa seca da parte aérea e massa seca da raiz. Pelos resultados verifica-se que a variável comprimento de raízes foi a mais responsiva em todos os ácidos e que o nível crítico de toxidez do ácido acético, propiônico ebutírico que reduziu 50% o comprimento da raiz foi de 9,0; 6,5 e 3,0mM, respectivamente.

Biografia do Autor

Lilian Madruga de Tunes, Universidade Federal de Pelotas

Universidade Federal de Pelotas
Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel

Caixa Postal 354, CEP 96001-970, Pelotas -RS, Brasil. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Melhoramento Vegetal e Tecnologia de Sementes. Atualmente realizando o Doutorado Acadêmico no Programa de Pós-Grraduação em Agronomia na UFSM.

Certificado pelo autor em 27/08/11

Franciéle Olivo, Universidade Federal de Pelotas

Universidade Federal de Pelotas

Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel. Caixa Postal 354, CEP 96001-970, Pelotas -RS, Brasil. Possui graduação em Agronomia (2006) e Mestrado (2008) em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas. Atualmente cursa doutorado na área de Fitotecnia pela Universidade Federal de Uberlândia.

Certificado pelo autor em 22/05/11

Pablo Gerzson Badinelli, Universidade Federal de Pelotas

Universidade Federal de Pelotas. Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel. Caixa Postal 354, CEP 96001-970, Pelotas -RS, Brasil. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fisiologia de Plantas. Mestre em Ciências, área de concentração Fisiologia Vegetal " Estudo de Respostas Bioquímicas e Fisiológicas de Plantas Noduladas de Soja em Estado de Hipoxia e Pós-Hipoxia". Atualmente exerce a função de Assistente Técnico Estadual - IRGA-EEA atuando na área de Difusão e Desenvolvimento de Soja no Interior do Estado do RS

Certificado pelo autor em 10/07/11

Alexandra Cantos, Universidade Federal de Pelotas

Universidade Federal de Pelotas. Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel. Caixa Postal 354, CEP 96001-970, Pelotas -RS, Brasil. Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade da Região da Campanha. Realizou estágio no Laboratório de Análise de Sementes da Universidade da Região da Campanha (INTEC) durante 03 anos. Tem experiência na área de Sementes, com ênfase em análise, estudo em sementes de espécies nativas do Rio Grande do Sul. Cursou Mestrado na UFPEL em Ciência e Tecnologia de Semente e atualmente doutorado no mesmo Departamento. Possui experiência em na área de Licenciamento Ambiental, emissão de laudos, pareceres e consultoria.

Certificado pelo autor em 08/04/11

Antonio Carlos Souza Albuquerque Barros, Universidade Federal de Pelotas

Universidade Federal de Pelotas. Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel. Caixa Postal 354, CEP 96001-970, Pelotas -RS, Brasil. É graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (1971), mestrado em Agronomy; Seed Technology - Mississippi State University (1975) e doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (1994), participou de Cursos de Especialização na ESALQ, no CIAT/Colômbia; no Instituto Agronômico Mediterraneo de Zaragoza-IAMZ, Espanha.É fluente, além da lingua pátria em Inglês e Espanhol, tendo acesso ao italiano e francês. Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal de Pelotas, Assessor Técnico Científico da Revista Brasileira de Sementes,Revista Pesquisa Agropecuária Brasileira e revisor da Revista Pesquisa Agropecuária Gaúcha. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Produção, Beneficiamento de Sementes e Planejamento de Empresas de Sementes atuando principalmente nos seguintes temas: Tecnologia de sementes, arroz,soja, trigo, forrageiras,produção e produção de sementes, controle de qualidade e pós colheita.

Certificado pelo autor em 03/08/11

Downloads

Publicado

2008-01-01

Edição

Seção

Artigos