Aspectos fisiológicos da toxidez de ácidos orgânicos em sementes de aveia

Lilian Madruga de Tunes, Franciéle Olivo, Pablo Gerzson Badinelli, Alexandra Cantos, Antonio Carlos Souza Albuquerque Barros

Resumo


Para que o cultivo da aveia (Avena sativa L.) seja também alternativo economicamente viável em solos de várzea, faz-se necessário a utilização de cultivares tolerantes aos principais ácidos orgânicos produzidos pela decomposição da matéria orgânica gerada em cultivos com plantio direto. O objetivo deste trabalho foi determinar a faixa de concentração e as respostas fisiológicas para serem utilizadas na cultivar UPF 16 para tolerância a ácidos orgânicos. Foram estudados os efeitos de cinco concentrações dos três principais ácidos formados no solo: ácido acético (0; 4; 8; 12 e 16mM), ácido propiônico (0; 4; 8; 12 e 16mM) e ácido butírico (0; 2; 4; 8 e 12mM). Os testes realizados foram o de germinação, comprimento da parte aérea, comprimento da raiz, massa seca da parte aérea e massa seca da raiz. Pelos resultados verifica-se que a variável comprimento de raízes foi a mais responsiva em todos os ácidos e que o nível crítico de toxidez do ácido acético, propiônico ebutírico que reduziu 50% o comprimento da raiz foi de 9,0; 6,5 e 3,0mM, respectivamente.


Palavras-chave


Avena sativa L.; Sementes; Ácidos orgânicos; Toxidez

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n4p21

Direitos autorais 2008 Lilian Madruga de Tunes, Franciéle Olivo, Pablo Gerzson Badinelli, Alexandra Cantos, Antonio Carlos Souza Albuquerque Barros

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.