Variação espacial do comprimento e do peso úmido total de Limnoperna fortunei (Dunker, 1857) no delta do rio Jacuí e lago Guaíba (RS, Brasil)

Maria Cristina Dreher Mansur, Henrique Figueiró, Cíntia Pinheiro dos Santos, Luiz Glock, Paulo Eduardo Aydos Bergonci

Resumo


Amostras de agregados de mexilhões dourados (Limnoperna fortunei) foram coletadas em janeiro de 2005, em quatro estações de coleta situadas no Delta do Jacuí, Arroio das Garças (DAG) e Canal do Jacuí (DCJ); lago Guaíba, Praia do Veludo (GPV) e Porto das Pombas (GPP), no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Foram mensurados em comprimento e em peso úmido total 180 indivíduos de mexilhão dourado de cada estação de coleta. Por meio do teste não paramétrico de Kruskal-Wallis (α = 0,05), seguido de múltiplas comparações (SNK), não foram verifi cadas diferenças significativas para as variáveis peso úmido (p = 0,912)e comprimento (p = 0,247) entre as estações de coleta GPV e GPP. No entanto, DAG e DCJ diferenciaram-se entre si e entre as demais estações (p < 0,001). Possivelmente as diferenças encontradas podem estar relacionadas às características ambientais dos diferentes ecossistemas (correnteza, disponibilidade de alimento, etc.) e a ação da predação.


Palavras-chave


Mexilhão dourado; Invasora; Mytilidae; Tamanho; Variação espacial

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n4p49

Direitos autorais 2008 Maria Cristina Dreher Mansur, Henrique Figueiró, Cíntia Pinheiro dos Santos, Luiz Glock, Paulo Eduardo Aydos Bergonci

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.