Efeito da suplementação alimentar sobre as características produtivas e reprodutivas de Apis mellifera Linnaeus, 1758

Autores

  • Tânia Patrícia Schafaschek Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Marília Terezinha Sangoi Padilha Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Ione Iolanda dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • José Carlos Fiad Padilha Universidade Federal de Santa Maria
  • Fabio Eduardo Braga Itaspurg do Brasil Inspeções Agrícolas, Itajaí – SC, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n4p99

Palavras-chave:

Apicultura, Pólen, Promotor L, Manejo de colméias, Abelhas

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho de colméias de Apis mellifera submetidas ou não a suplementação energético-protéica, entre maio e dezembro de 2003, num apiário em Ituporanga/SC. As colméias foram distribuídas aleatoriamente, sendo que cinco foram suplementadas com xarope de açúcar invertido e um componente protéico-vitamínico (Promotor L) e as outras cinco colméias não receberam suplementação. Avaliou-se a área com ovos e larvas, a área com pupa, a área com pólen e a área com mel. Observaram-se diferenças significativas entre os tratamentos para todos os parâmetros analisados. Os maiores valores para as áreas de ovo e larva e de pupa das colméias suplementadas foram obtidos no período de maior disponibilidade de alimentos na natureza. A área de pólen das colméias não suplementadas apresentou-se maior a partir de junho, sendo que as suplementadas apresentaram maior armazenamento de pólen apenas na época em que a disponibilidade deste na natureza era menor e as condições climáticas menos propícias para a coleta e desenvolvimento das colméias. No final do período, as colméias com alimentação suplementar apresentaram maior área de mel. A suplementação energético-protéica interferiu no armazenamento de alimento pelas abelhas, mas não proporcionou a antecipação do desenvolvimento das colméias.

Biografia do Autor

Tânia Patrícia Schafaschek, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina SA – EPAGRI. PPG em Agroecossistemas, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Marília Terezinha Sangoi Padilha, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Graduada em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Maria (1976), Mestre em Zootecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1979) e Doutora em Sciences de La Vie - Université de Tours (Université François Rabelais- Tour) (1995). Professora 40hDE da UFSC desde fevereiro de 1980, onde, além das atividades de Ensino de Graduação e Pós-Graduação, exerce atividades de Pesquisa, Extensão e Administração. Partipou da Camara de Ensino, foi Presidente do Conselho de Curadores, chefe do Departamento de Zootecnia, Coordenadora e Sub- Coordenadora do Mestrado em Agroecossistemas. Atualmente Sub-Coordenadora do Curso de Zootecnia. Tem orientado alunos em trabalhos de estágios, de Iniciaçào científica, de conclusão de Curso de graduação e de Mestrado. Tem colaborado como consultora ad hoc de sete revistas científicas. Participa da SBZ-Sociedade Brasileira de Zootecnia, da ABZ-Associação Brasileira de Zootecnistas. da ACBC-Associação Cientifica Brasileira de Cunicultura, da WRSA - World Rabbit Scientific Association. Tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em Nutrição e Alimentação Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: nutrição animal, biota digestiva, produção animal e seus impactos nos agroecossistemas, uso de alternativas aos antimicrobianos na produção animal .Certificado pelo autor em 15/12/10

Ione Iolanda dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Possui graduação em Agronomia (1999) e mestrado em Agroecossistemas (2002) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Em 2010 obteve o título de Doutor em Zootecnia pela Universidade Federal do Rio grande do sul. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Avicultura, atuando principalmente nos seguintes temas: nutrição de monogástricos, aditivos para ração animal e análises laboratoriais (bromatológica, cromatográficas e moleculares).Certificado pelo autor em 21/07/11

José Carlos Fiad Padilha, Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Maria (1976), mestrado em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Maria (1983) e doutorado em Ciências da Vida - Universite de Tours (Universite Francois Rabelais) (1995). Atualmente é membro do corpo editorial da Revista Eisforia e professor associado da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: frangos de corte, metabolismo energético, adaptação ao calor, produção de aves e criação a campo.Certificado pelo autor em 18/05/11

Fabio Eduardo Braga, Itaspurg do Brasil Inspeções Agrícolas, Itajaí – SC, Brasil

Itaspurg do Brasil Inspeções Agrícolas, Itajaí – SC, Brasil

Downloads

Publicado

2011-09-05

Edição

Seção

Artigos