Efeito de níveis de fósforo não-fítico e de fitase sobre o fêmur de frangos de corte

Autores

  • Luana Martins Schaly Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Rio Verde
  • Bruno Nunes Gonçalves Faculdade de Zootecnia, Universidade de Rio Verde
  • Maria Cristina de Oliveira Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Rio Verde
  • Antônio Carlos Laurentiz Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, UNESP
  • Otto Mack Junqueira FCAV, UNESP, Jaboticabal – SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n1p81

Palavras-chave:

Enzimas, Qualidade óssea, Deficiência de fósforo

Resumo

Esse experimento foi conduzido para avaliar o efeito de níveis de fósforo não-fítico (FNF) e de fitase sobre peso, morfometria e índice peso/comprimento (IPC) de fêmures de frangos aos 21 e 42 dias de idade. Foram utilizados 1200 pintos de corte alojados em delineamento inteiramente casualizado e arranjo fatorial 4 x 3 (níveis de FNF x níveis de fitase), com quatro repetições. Os níveis de FNF, em cada fase, foram de 0,45; 0,37; 0,29 e 0,21% na fase inicial; 0,41; 0,33; 0,25 e 0,17% na fase de crescimento e de 0,37; 0,29; 0,21 e 0,13% na fase final. Os níveis de fitase utilizados foram 0,500 e 1000U/kg de dieta. Aos 21 e 42 dias de idade, 48 aves foram sacrificadas para a retirada dos fêmures. Aos 21 dias, não houve efeito (P > 0,05) da interação FNF x fitase sobre parâmetros ósseos, porém a redução do FNF dietético diminuiu (P < 0,05) o peso, o comprimento e o IPC dos fêmures e a inclusão de 500U/kg de fitase melhorou (P < 0,05) o peso e o IPC dos ossos. Aos 42 dias de criaçãi, a interação FNF x fitase foi significativa (P < 0,05) para peso e comprimento dos fêmures, em que aves que ingeriram dietas sem fitase tiveram fêmures mais leves e mais curtos quando o menor nível de FNF foi avaliado, porém, a inclusão de 500 ou 1000U/kg de fitase tornou o peso e o comprimento similares aos do tratamento com níveis recomendados de FNF e o menor nível de FNF avaliado, promoveu redução (P < 0,05) no diâmetro e no IPC dos fêmures. Concluiu-se que dietas com 0,29, 0,25 e 0,21% de FNF, suplementadas com 500U/kg de fitase, podem ser usadas sem prejuízos para a qualidade do fêmur dos frangos de corte de um a 42 dias de idade.

Biografia do Autor

Luana Martins Schaly, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Rio Verde

Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Rio Verde, Rio Verde – GO, Brasil

Bruno Nunes Gonçalves, Faculdade de Zootecnia, Universidade de Rio Verde

Faculdade de Zootecnia, Universidade de Rio Verde

Maria Cristina de Oliveira, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Rio Verde

Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Rio Verde Rio Verde – GO, Brasil

Antônio Carlos Laurentiz, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, UNESP

3Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, UNESP, Ilha Solteira – SP, Brasil

Otto Mack Junqueira, FCAV, UNESP, Jaboticabal – SP, Brasil

FCAV, UNESP, Jaboticabal – SP, Brasil

Downloads

Publicado

2009-08-31

Edição

Seção

Artigos