Bloqueio vascular de hastes de gérberas cv. Patrizia

Autores

  • Rose Beatriz Antes
  • Cândida Raquel Scherrer Montero
  • Sandra Rieth
  • Valmir Duarte
  • Renar João Bender

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n2p1

Palavras-chave:

Longevidade floral, Oclusão do xilema, Gerbera jamesonii

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi demonstrar, com o auxílio da microscopia eletrônica de varredura (MEV), os bloqueios vasculares relacionados com o rápido declínio da vida em vaso e avaliar a eficiência de diferentes concentrações de um conservante floral comercial sobre a longevidade de gérberas de corte (Gerbera jamesonii) cv. Patrizia. Os tratamentos: T1 – controle (água potável); T2 – água e frascos esterilizados; T3 – 0,75%; T4 – 1,0% e T5 – 1,5% do produto comercial Flower® foram aplicados em delineamento experimental inteiamente casualizado com quatro repetições e unidades experimentais de cinco hastes de 50cm cada. A vida em vaso não foi significativamente ampliada como resultado do uso do conservante floral. Todas as concentrações do produto comercial proporcionaram uma redução significativa do número de UFC/mL da solução. Como resultado deste controle da população de bactérias, a absorção de água manteve-se maior durante os três primeiros dias naqueles tratamentos onde foi adicionado o conservante floral. Nas imagens da MEV observa-se a proliferação de bactérias no xilema das hastes não tratadas com o conservante floral. A adição do produto comercial na solução de manutenção das hastes é recomendável por controlar o crescimento de bactérias e diminuir o bloqueio dos vasos do xilema de gérberas.

Biografia do Autor

Rose Beatriz Antes

Departamento de Horticultura e Silvicultura, Faculdade de Agronomia
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 7712, CEP 91540-000, Porto Alegre – RS, Brasil

Cândida Raquel Scherrer Montero

Departamento de Horticultura e Silvicultura, Faculdade de Agronomia
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 7712, CEP 91540-000, Porto Alegre – RS, Brasil

Sandra Rieth

Departamento de Horticultura e Silvicultura, Faculdade de Agronomia
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 7712, CEP 91540-000, Porto Alegre – RS, Brasil

Valmir Duarte

Departamento de Fitossanidade, Faculdade de Agronomia
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Renar João Bender

Departamento de Horticultura e Silvicultura, Faculdade de Agronomia
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 7712, CEP 91540-000, Porto Alegre – RS, Brasil

Downloads

Publicado

2009-08-11

Edição

Seção

Artigos