Desenvolvimento morfológico das larvas de Hoplias lacerdae Miranda Ribeiro, 1908 (Characiformes, Erythrinidae), da eclosão até a metamorfose, relacionado com a capacidade de capturar alimento exógeno

Cláudia Maria Reis Raposo Maciel, Alaor Maciel Júnior, Juarez Lopes Donzele, Eduardo Arruda Teixeira Lanna, Eliane Menin

Resumo


Para a realização deste trabalho foram utilizados 510 exemplares de Hoplias lacerdae, com um a 30 dias após a eclosão, com o objetivo de estudar as características morfológicas, mesoscópicas, que capacitam essa espécie, nas fases iniciais do seu desenvolvimento, a apresentarem estruturas adaptadas para se locomoverem e capturarem alimento exógeno. As larvas vitelínicas com 11 dias após a eclosão têm potencialidade para capturar alimento exógeno, ou seja, presas, mesmo antes da absorção total do vitelo, o que acontece com 12 dias. Nesta fase apresentam: boca aberta com um dia após a eclosão e posição terminal aos quatro dias; aos sete dias demonstram flexão da notocorda, proporcionando maior eficiência locomotora, bem como apresenta neste período nadadeiras peitorais desenvolvidas, as quais facilitam o equilíbrio e direcionamento na coluna d’água; e aos oito dias visualizou-se a formação das nadadeiras dorsal e anal, porém as nadadeiras pélvicas foram visualizadas aos 11 dias.


Palavras-chave


Alimentação; Morfologia; Ontogênese; Teleostei; Trairão

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n3p103

Direitos autorais 2011 Cláudia Maria Reis Raposo Maciel, Alaor Maciel Júnior, Juarez Lopes Donzele, Eduardo Arruda Teixeira Lanna, Eliane Menin

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.