Inventário de macroliquens epífitos sobre árvores utilizadas na arborização urbana em Curitiba, Paraná, Brasil: Subsídio para biomonitoramento urbano

Autores

  • Sionara Eliasaro EMBRAPA
  • Patrícia Wolf Veiga EMBRAPA
  • Cristine Gobel Donha EMBRAPA
  • Lucas Nogueira EMBRAPA

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n4p1

Palavras-chave:

Bioindicadores, Parmeliaceae, Physciaceae

Resumo

Foi analisada a composição de comunidades de macroliquens epífitos sobre as seguintes espécies arbόreas utilizadas na arborização urbana em Curitiba: Acer negundo, Lagerstroemia indica, Ligustrum lucidum, Parapiptadenia rigida, Cassia leptophylla, Syagrus romanzoffian, Tabebuia alba, Tabebuia chrysotricha, Tabebuia heptaphylla e Tipuana tipu. Registrou-se um total de 84 espécies, sendo 14 citadas pela primeira vez para o estado do Paraná e Flavoparmelia soredians citada pela primeira vez para o Brasil. Parmeliaceae foi a família melhor representada com 45 espécies distribuídas em nove gêneros; seguida de Physciaceae com 24 espécies distribuídas em seis gêneros. as espécies arbόreas nativas apresentaram maior riqueza de espécies de liquens e maior número de espécies exclusivas do que as espécies arbόreas exόticas. a maior riqueza de espécies foi encontrada em Tabebuia chrysotricha, com 62 espécies, seguida de Syagrus romanzoffiana com 47 espécies. Candelaria concolor, Canoparmelia crozalsiana, Canoparmelia texana, Dirinaria applanata, Dirinaria conÀ uens, Heterodermia obscurata, Myelochroa lindmanii, Parmotrema pilosum, Physcia poncinsii, Punctelia borreri, Punctelia reddenda, Pyxine subcinerea, Ramalina celastri e Ramalina peruviana são indicadas como espécies de macroliquens com maior potencial em futuros estudos de biomonitoramento da qualidade do ar na cidade de Curitiba.

Biografia do Autor

Sionara Eliasaro, EMBRAPA

http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n4p1

Laboratório de Liquenologia, Departamento de Botânica, Setor de Ciências Biológicas

Universidade Federal do Paraná, CEP 81531-970, Curitiba - PR, Brazil

Patrícia Wolf Veiga, EMBRAPA

Laboratório de Liquenologia, Departamento de Botânica, Setor de Ciências Biológicas

Universidade Federal do Paraná, CEP 81531-970, Curitiba - PR, Brazil

Cristine Gobel Donha, EMBRAPA

Laboratório de Liquenologia, Departamento de Botânica, Setor de Ciências Biológicas

Universidade Federal do Paraná, CEP 81531-970, Curitiba - PR, Brazil

Lucas Nogueira, EMBRAPA

Laboratório de Liquenologia, Departamento de Botânica, Setor de Ciências Biológicas

Universidade Federal do Paraná, CEP 81531-970, Curitiba - PR, Brazil

Downloads

Publicado

2009-06-03

Edição

Seção

Artigos