Controle biológico de organismos incrustantes em um cultivo de vieiras Nodipecten nodosus (Linnaeus, 1758) em Ubatuba, SP, Brasil

Rafael Pasin Corrente Rangel Roma, Helcio Luis de Almeida Marques, Rogerio Stojanov Bueno

Resumo


O presente experimento teve como objetivo comparar a eficiência de três organismos (os ouriços-do-mar Echinometra lucunter, Lytechinus variegatus e o gastrópodo Tegula viridula) no controle de bioincrustações em lanternas de cultivo e nas valvas da vieira Nodipecten nodosus. Para tal, vieiras com altura inicial média de 32,6 + 4,9mm, foram cultivadas em oito lanternas japonesas com cinco pisos cada, na densidade de 25 animais / piso, obedecendo ao seguinte delineamento: T1 – controle (somente vieiras); T2 – vieiras com Echinometra lucunter; T3 – vieiras com Lytechinus variegatus; T4 – vieiras com Tegula viridula. Utilizaram-se os biocontroladores nas densidades de quatro (E. lucunter), três (L. variegatus) e 16 animais / piso (T. viridula). Após 150 dias, o experimento foi encerrado e a biomassa remanescente (peso seco) de bioincrustações foi avaliada nas lanternas de cultivo e nas valvas das vieiras. As espécies de ouriços-do-mar E. lucunter e L. variegatus foram mais eficientes no controle das bioincrustações das lanternas (86% e 59% em relação ao tratamento controle, respectivamente), mas não houveram diferenças significativas entre as eficiências dos controladores na remoção das bioincrustações das valvas. Esse resultado sugere que o controle biológico pode ser utilizado como método auxiliar na redução das bioincrustações em cultivos de vieiras.


Palavras-chave


Biocontroladores; Bioincrustações; Maricultura; Nodipecten nodosus; Vieira

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n4p107

Direitos autorais 2011 Rafael Pasin Corrente Rangel Roma, Helcio Luis de Almeida Marques, Rogerio Stojanov Bueno

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.