Conhecimentos etnoecológicos na mariscagem de moluscos bivalves no Manguezal do Distrito de Acupe, Santo Amaro - BA

Francisco José Bezerra Souto, Viviane Souza Martins

Resumo


O manguezal é um ecossistema altamente produtivo que desempenha importantes funções ecolόgicas, além de, historicamente, servir para a subsistência e renda de inúmeras comunidades pesqueiras artesanais. Nos manguezais da Baía de Todos os Santos, entre os quais o do Distrito de acupe (Santo Amaro - BA), os moluscos bivalves (mariscos) estão entre os recursos mais importantes, sendo sua coleta conhecida como mariscagem. O presente trabalho tem como objetivo caracterizar o conhecimento das marisqueiras locais sobre a biologia e ecologia de mariscos bivalves, utilizandoYse para isto entrevistas semiYestruturadas com marisqueiras (N 54), que versaram sobre etnotaxonomia, ecologia trόfica, hidrodinâmica, fenologia e etnocronologia. Optou-se por uma análise emicista-eticista dos dados, comparando as informações obtidas em campo com aquelas contidas na literatura acadêmica. Os resultados obtidos demonstraram que as marisqueiras de acupe detêm um significativo conhecimento sobre os mariscos bivalves, bem como de aspectos relativos à dinâmica do manguezal local, por vezes compatível com o conhecimento acadêmico.

 


Palavras-chave


Etnoecologia; Manguezal; Marisqueiras; Moluscos bivalves

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n4p207

Direitos autorais 2011 Francisco José Bezerra Souto, Viviane Souza Martins

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.