Avifauna em fragmentos florestais da Mata Atlântica no sul do Espírito Santo

Fabio Rossano Dario

Resumo


O estudo foi realizado em fragmentos florestais da Mata Atlântica, localizados no município de Anchieta, no sul do Estado do Espírito Santo, Brasil (entre as coordenadas geográficas 20o40' e 20o48' de latitude sul e 40o34' e 40o42' de longitude oeste), ao longo do ano de 2008. O principal objetivo foi analisar os grupos de aves afetados pela fragmentação florestal e o isolamento destas áreas. O método utilizado para o registro da avifauna foi o de observações por pontos fixos e foram calculados o Índice de Diversidade de Shannon-Weaver (H'=4,18), indicando uma riqueza expressiva dos ambientes estudados; Índice de Equidade de Pielou (E=0,81) para as áreas estudadas, indicando que as espécies observadas nestes ambientes representam quase a capacidade máxima que estas áreas podem abrigar; e o Índice Pontual de Abundância para as espécies registradas, que variou entre 0,0042 (um contato) e 0,9500 (228 contatos), com grande número de espécies com baixo IPA e poucas espécies com IPA intermediário ou alto. Foi possível registrar, em 80 horas de observações, 168 espécies de aves, distribuídas em 45 famílias, 20 ordens e agrupadas em oito guildas tróficas, sendo onívoro e insetívoro as mais abundantes, respectivamente com 58 e 52 espécies. As espécies mais afetadas pela fragmentação florestal foram os grandes frugívoros e os insetívoros de sub-bosque.


Palavras-chave


Avifauna; Biodiversidade; Fragmentos florestais; Guilda; Mata Atlântica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n3p105

Direitos autorais 2010 Fabio Rossano Dario

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.