Uso do habitat, estrutura social e aspectos básicos da etologia de um grupo de quatis (Nasua nasua Linnaeus, 1766) (Carnivora: Procyonidae) em uma área de Mata Atlântica, São Paulo, Brasil

Deborah de Barros, Rita de Cássia Frenedozo

Resumo


Quatis (Nasua nasua) são considerados terrestres, apesar de terem extrema facilidade de escalar árvores, além de apresentarem uma estrutura social complexa, onde os machos são solitários fora da estação reprodutiva e as fêmeas vivem em bandos com seus filhotes e jovens durante a maior parte do ano. O presente estudo teve como finalidade descrever o uso do habitat e estrutura social de um grupo de quatis no Parque Estadual da Cantareira, um remanescente de Mata Atlântica, situado na região metropolitana de São Paulo. Foi realizada a observação do comportamento dos animais em campo, com um esforço médio de duas vezes por semana. Os resultados apresentados foram semelhantes aos descritos na literatura, com a preferência do habitat chão a árvore e com machos solitários, exceto na época de reprodução, bem como o hábito gregário das fêmeas e seus filhotes e jovens.


Palavras-chave


Floresta urbana; Nasua nasua; Semi habituação

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n3p175

Direitos autorais 2010 Deborah de Barros, Rita de Cássia Frenedozo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.