Relações de epífitos vasculares com fatores ambientais nas florestas do Rio Tibagi, Paraná, Brasil

Annete Bonnet, Gustavo Ribas Curcio, Osmir José Lavoranti, Franklin Galvão

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a relação entre a riqueza de epífitos vasculares e fatores climáticos, geomorfológicos, pedológicos e estruturais da floresta, que se modificam ao longo do rio Tibagi. O grau de substituição das 188 espécies registradas foi elevado, indicando a singularidade das comunidades e sua importância para conservação dos epífitos na bacia do citado rio. A similaridade foi maior entre as áreas mais próximas geograficamente, que possibilitou a formação de três grupos de comunidades epifíticas distribuídas ao longo do rio. A maior riqueza de epífitos foi registrada na região do médio Tibagi, onde as unidades fitogeográficas estão em contato e as florestas apresentam o melhor estado de conservação. O aumento da riqueza epifítica mostrou-se relacionado significativamente apenas com o diâmetro máximo das árvores, fator ambiental importante na ampliação da diversidade alfa. A diversidade beta é, provavelmente, resultado da heterogeneidade ambiental que se expressa, principalmente, por distintos padrões geomorfológicos e condições climáticas entre as áreas de estudo e entre regiões ambientalmente diferentes do rio.


Palavras-chave


Diversidade; Ecótono; Estrutura da floresta; Gradiente

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n3p37

Direitos autorais 2010 Annete Bonnet, Gustavo Ribas Curcio, Osmir José Lavoranti, Franklin Galvão

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.