Variação espaço-temporal de metais em aguapé [Eichhornia crassipes (Mart.) Solms)], material particulado aderido às raízes de aguapé e no sedimento em dois rios do sudeste brasileiro

Autores

  • Leonardo Bernardo Campaneli Universidade Estadual do Norte Fluminense
  • Cristina Maria Magalhães de Souza Universidade Estadual do Norte Fluminense
  • Thiago de Souza Ribeiro Universidade Estadual do Norte Fluminense
  • Carlos Eduardo Rezende Universidade Estadual do Norte Fluminense
  • Ricardo Antunes de Azevedo Universidade de São Paulo
  • Marcelo Gomes de Almeida Universidade Estadual do Norte Fluminense
  • Angela Pierre Vitória Universidade Estadual do Norte Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n4p119

Palavras-chave:

Aguapé (Eichhornia crassipes), Biogeoquímica, Rio Paraíba do Sul

Resumo

Este trabalho avaliou as variações espaciais e temporais na concentração de metais (Fe, Mn, Cu, Zn, Ni, Cr e Pb) em aguapé [Eichhornia crassipes (Mart.) Solms)] (raiz e parte aérea), no material particulado aderido às raízes do aguapé e no sedimento na região do baixo, médio e alto rio Paraíba do Sul (RPS) e rio Imbé, ambos no sudeste brasileiro. As amostras foram coletadas no período chuvoso e seco de 2006. Ferro e Mn foram os elementos encontrados em maiores concentrações em todos os compartimentos de ambos os rios. Nas plantas, o sítio preferencial de acúmulo de todos os metais foram as raízes. As concentrações de metais em aguapé sugerem que os metais na forma bioassimilável tendem a estar mais disponíveis na estação seca no baixo e médio RPS, provavelmente devido à menor concentração de material particulado em suspensão. Entretanto, nos demais locais analisados não houve variação temporal. As diferentes  matrizes analisadas mostraram uma variação espacial de metais no RPS, provavelmente devido a particularidades geoquímicas e antropogências de cada região. O RPS apresentou altas concentrações de Cu, Zn, Ni, Cr e Pb quando comparado com o rio Imbé, em especial a região do médio RPS, mas menores concentrações do que outros rios reconhecidamente poluídos do mundo.

Biografia do Autor

Leonardo Bernardo Campaneli, Universidade Estadual do Norte Fluminense

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (2006) e mestrado em Ecologia e Recursos Naturais. Tem experiência na área de Bioquímica. Realizou pesquisa na linha de Ecologia de Ecossistemas cuja área de concentração é Biogeoquímica. Dentro desta linha de pesquisa, estudou níveis de metais pesados em ecossistema fluviais utilizando macrófita aquática como bioindicador. Atualmente atua como biólogo na análise de licenciamento ambiental e fiscalização ambiental no norte e noroeste fluminense.

Cristina Maria Magalhães de Souza, Universidade Estadual do Norte Fluminense

Possui graduação em Química Industrial pela Universidade Federal Fluminense (1982), mestrado em Geociências (Geoquímica) pela Universidade Federal Fluminense (1986) e doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994). Atualmente é Pesquisador associado da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Tem experiência na área de Ecologia , com ênfase em Ecologia Aplicada. Atuando principalmente nos seguintes temas: mercúrio, sedimento, peixe, cabelo.

Thiago de Souza Ribeiro, Universidade Estadual do Norte Fluminense

Atualmente é bolsista de iniciação cientifica da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

Carlos Eduardo Rezende, Universidade Estadual do Norte Fluminense

Bolsista de Produtividade em Pesquisa 2. Possui graduação em Ciências Biológicas Bacharelado ênfase em Biologia Marinha e Licenciatura pela Faculdade de Biologia e Psicologia Maria Thereza (1984), com Curso de Especialização em Oceanografia Química (1985; Departamento de Geoquímica da Universidade Federal Fluminense); mestrado em Geociências (1988; Departamento de Geoquímica da Universidade Federal Fluminense; Programa de Geoquímica - Biogeoquímica de Manguezais); Doutorado em Ciências (1993; Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, Laboratório de Radioisótopos Eduardo Pena Franca; Programa de Biofísica Ambiental - Biogeoquímica na interface dos sistemas Fluviais-Marinhos) e participou como Pesquisador Associado na Universidade de Washington (Escola de Oceangrafia) do Grupo de Geoquímica Orgânica liderado pelo Prof. Dr. John I. Hedges. Sua experiência profissional envolve a dinâmica de metais pesados, nutrientes, composição elementar e isotópica da matéria orgânica, e biomarcadores na interface dos ecossistemas terrestres e aquáticos. Tem atuado nas áreas de Ecologia Aplicada, Manejo e Conservação Ambiental de Recursos Naturais, Oceanografia Química e, Geoquímica e Biogeoquímica de Ecossistemas Aquáticos. Atualmente, é Professor Titular I da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF); Ex-Diretor do Centro de Biociências e Biotecnologia (CBB); Ex-Vice Reitor da UENF; Ex- Pró-Reitor de Graduação da UENF; Membro do Corpo Editorial da Revista Wetlands Ecology and Managements. É pesquisador de Produtividade Científica desde 1993 e participa do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (Transferências de Material na Interface Continente - Oceano) do Conselho Nacional de Pesquisa e Tecnologia. Na UENF esteve a frente, juntamente com outros pesquisadores, da criação e consolidação do Laboratório de Ciências Ambientais da UENF. Recentemente, recebeu as seguintes honrarias: Pesquisador do Estado do Rio de Janeiro concedido pela FAPERJ; Collaborating Professor of Environmental Studies in the Williams School of Commerce, Economics and Politics at Washington and Lee University, VA, US e Research Affiliate of the Program in Latin American and Caribbean Studies, Fairfield University, CT, US.

Ricardo Antunes de Azevedo, Universidade de São Paulo

Graduação em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1983), mestrado em Genética Vegetal pela Universidade Estadual de Campinas (1988), doutorado (1992) e pós-doutorado (1997) em Bioquímica de Plantas pela University of Lancaster, Inglaterra. Desde março de 2001 atua como Research Fellow - University of Lancaster, Inglaterra. É Professor da Universidade de São Paulo desde 1993 (Professor Titular). Atua na área de Genética Fisiológica e Bioquímica de Plantas, com ênfase em Botânica (Fisiologia Vegetal), atuando principalmente nos seguintes temas: metabolismo de aminoácidos e nitrogênio, e estresse oxidativo por metais pesados. Membro do corpo editorial de 6 periódicos (4 do Exterior). É Editor Sênior do periódico Annals of Applied Biology (Inglaterra, Wiley-Blackwell) desde 2007, membro do Advisory Board do periódico Plant Physiology and Biochemistry (França, Elsevier) desde Fevereiro de 2009 e editor de área (Ciências Agrárias) dos Anais das Academia Brasileira de Ciências desde Junho de 2010. Atualmente coordena o programa de pós-graduação em Genética e Melhoramento de Plantas (ESALQ-USP) (conceito 7). É Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências na área de Ciências Agrárias (2010).

Marcelo Gomes de Almeida, Universidade Estadual do Norte Fluminense

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996), mestrado em Biociências e Biotecnologia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (1998) e doutorado em Biociências e Biotecnologia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (2004). Atualmente é técnico de nível superior em meio ambiente da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geoquímica Ambiental, Oceanografia Quimica e análise de traços e química ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas metais pesados, mercúrio, sedimento, peixe, macrofitas e técnicas como AA, ICP-OES, CG, ultrafiltração, análise elementar (CHN/S), etc

Angela Pierre Vitória, Universidade Estadual do Norte Fluminense

Possui bacharelado em Ciências Biológicas pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas - 1992), mestrado e doutorado em Biologia Vegetal pela UNICAMP (1994 e 1998, respectivamente), pós-doutorados (UENF - biologia molecular, 2003 e USP - fisiologia do estresse, 1999). Atuou com professora Adjunta (1999 a 2002) na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) lecionando Fisiologia Vegetal. Nesta mesma Universidade foi credenciada na PG em Botânica de 2000 a 2007. Atualmente é secretária da Sociedade Brasileira de Fisiologia Vegetal (gestão 2009 - 2011) e profa. Associada na Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) lecionando Taxonomia e Organografia na graduação e credenciada nos cursos de PG em Ecologia e Recursos Naturais e Ciências Naturais desta universidade, lecionando Ecofisiologia Vegetal. Possui orientações e co-orientações concluídas de alunos de iniciação científica, monografias, mestrado e doutorado, projetos aprovados nas áreas de biologia molecular, ecofisiologia e bioquímica vegetal. Atividades de pesquisas com ênfase em fisiologia do estresse: estresse ambiental, metais pesados, bioquímica e ecofisiologia.

Downloads

Publicado

2010-01-01

Edição

Seção

Artigos