Assembléia de mamíferos dos agroecossistemas constituintes da bacia hidrográfica do rio da Várzea, Rio Grande do Sul

Autores

  • Felipe Bortolotto Peters Universidade Luterana do Brasil/Empresa Área de Vida-Assessoria e Consultoria em Biologia
  • Paulo Ricardo de Oliveira Roth Universidade Luterana do Brasil
  • Leonardo Ferreira Machado Universidade Luterana do Brasil
  • Eduardo de Lima Coelho Universidade Luterana do Brasil
  • Diego Marques Henriques Jung Universidade Luterana do Brasil
  • Alexandre Uarth Christoff Universidade Luterana do Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n4p91

Palavras-chave:

Biodiversidade, Bioma Mata Atlântica, Inventário de fauna, Mamíferos

Resumo

Este trabalho contribui com o conhecimento sobre a diversidade da mastofauna ocorrente ao longo dos agroecossistemas constituintes da Bacia hidrográfica do rio da Várzea, Rio Grande do Sul, Brasil. Foram utilizadas diferentes técnicas de amostragem, que possibilitaram confirmar a ocorrência de 46 espécies de mamíferos. Nove espécies estão citadas em pelo menos uma das três listas vermelhas utilizadas como referência nos âmbitos estadual, nacional e mundial. Somando os resultados obtidos neste estudo com os dados disponíveis, principalmente para as unidades de conservação locais,  obtemos um total de 85 espécies registradas para a bacia. Esta riqueza representa cerca de 50% dos mamíferos já  documentados para o Rio Grande do Sul. Os resultados sugerem a importância da manutenção de Unidades de Conservação em regiões alteradas, atestando a relevância de inventários de fauna local como abordagem inicial a estudos que envolvam distribuição, sistemática, citogenética, fisiologia, ecologia de populações ou comunidades.

Biografia do Autor

Felipe Bortolotto Peters, Universidade Luterana do Brasil/Empresa Área de Vida-Assessoria e Consultoria em Biologia

Atualmente é consultor ambiental atuando pela empresa Área de Vida-Assessoria e Consultoria em Biologia e Meio Ambiente Ltda e pesquisador colaborador do Museu de Ciências Naturais ULBRA/Canoas. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Mastozoologia - Taxonomia de grupos recentes e ecologia.

Paulo Ricardo de Oliveira Roth, Universidade Luterana do Brasil

Possui graduação em Ciências - Biologia - Bacharelado pela Universidade Luterana do Brasil (2009). Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Morfologia crânio-dentária de roedores, atuando principalmente nos seguintes temas: Roedores, zooarqueologia, paleoambiente e paleofauna. Possui graduação em Ciências - Biologia - Bacharelado pela Universidade Luterana do Brasil (2009). Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Morfologia crânio-dentária de roedores, atuando principalmente nos seguintes temas: Roedores, zooarqueologia, paleoambiente e paleofauna.

Leonardo Ferreira Machado, Universidade Luterana do Brasil

Possui graduação em Biologia pela Universidade Luterana do Brasil (2007). Atualmente é mestrando pelo programa Biologia Animal da Universidade de Brasília (UnB). Tem experiência em Zoologia de vertebrados com ênfase em Sistemática de Mamíferos. Atua principalmente nos seguintes temas: Mamíferos, sistemática, sistemática molecular, anatomia, filogenia, biogeografia.

Eduardo de Lima Coelho, Universidade Luterana do Brasil

Atualmente é técnico de Laboratório do Museu de Ciências Naturais da Universidade Luterana do Brasil. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Sistemática e Evolução de Mamíferos Neotropicais - Ênfase: Roedores e Marsupiais

Diego Marques Henriques Jung, Universidade Luterana do Brasil

Possui graduação em Biologia - Bacharelado em Ecologia pela Universidade Luterana do Brasil e Mestrado em Biologia: Diversidade e Manejo de Vida Silvestre (conceito 5) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2009), tendo desenvolvido sua dissertação com filogenia e filogeografia de Sigmodontíneos da América do Sul. É Professor Adjunto na Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) e Coordenador do Curso de Ciências Biológicas da ULBRA Campus Gravataí. É pesquisador colaborador na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Laboratório de Biologia Molecular e Pesquisador associado ao Laboratório de Sistemática de Mamíferos, Museu de Ciências Naturais da ULBRA Canoas. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Mastozoologia, atuando principalmente nos seguintes temas: biogeografia, taxonomia, sigmodontinae, sistemática e rodentia. Os interesses de pesquisa incluem Sistemática de mamíferos além de Biogeografia e Ecologia de vertebrados.

Alexandre Uarth Christoff, Universidade Luterana do Brasil

Graduado em Licenciatura Em Ciências Habilitação Em Biologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1984), mestrado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991) e doutorado em Ciências Biológicas (Biologia Genética) pela Universidade de São Paulo (1997). Atualmente é pesquisadro colaborador da Universidade de São Paulo e UNISINOS. Professor adjunto da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Responsável Técnico pelo Museu de Ciências Naturais (MCNU). Experiência na área de Zoologia, com ênfase em Taxonomia dos Grupos Recentes, atuando principalmente nos seguintes temas: Sistemática e Evolução de Roedores, Biogeografia.

Downloads

Publicado

2010-01-01

Edição

Seção

Artigos