Comparação entre exames coproparasitológicos e necroscópicos para diagnóstico da infecção por helmintos gastrintestinais em cães (Canis familiaris, Linnaeus, 1758) errantes provenientes da Região Metropolitana do Recife.

Marilene Maria de Lima, Márcia Paula Oliveira Farias, Alessandra Santos d' Alencar, Mariana Karolina Freitas Galindo, Carla Tejo da Silva, Leucio Câmara Alves, Maria Aparecida da Gloria Faustino

Resumo


Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de comparar os exames coproparasitológicos e necroscópico para diagnóstico da infecção por helmintos gastrintestinais, avaliando a freqüência de parasitismo em cães errantes capturados pelo Centro de Vigilância Ambiental da Cidade de Recife – PE. Um total de 96 cães de ambos os sexos, idade e raça variadas foi utilizado. Os animais foram submetidos à eutanásia e necropsiados para coleta de helmintos adultos. Em paralelo foram coletadas amostras de fezes diretamente da ampola retal dos animais e processadas pela técnica de Willis e sedimentação espontânea. Os resultados obtidos na necropsia apontaram positividade de 96,8% (93 ∕ 96), sendo 83,3%, 34,4%, 30,2%, 28,1%, 14,6%, 6,3% e 2,1%, respectivamente para Ancylostoma caninum, Dypilidium caninum, Toxocara canis, Trichuris vulpis, Ancylostoma braziliense, Toxascaris leonina e Spirocerca lupi. Os métodos de Willis, sedimentação e necropsia foram significativamente diferentes entre si (p < 0,05) apenas na detecção de infecção por Ancylostoma spp. Willis e sedimentação não apresentaram diferenças entre si para os demais helmintos gastrintestinais.


Palavras-chave


Ancylostoma caninum; Toxocara canis; Helmintose gastrintestinal

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2011v24n2p47

Direitos autorais 2011 Marilene Maria de Lima, Márcia Paula Oliveira Farias, Alessandra Santos d' Alencar, Mariana Karolina Freitas Galindo, Carla Tejo da Silva, Leucio Câmara Alves, Maria Aparecida da Gloria Faustino

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.