Classificação Morfológica da Glândula Prepucial do Nasua nasua (Quati).

Autores

  • Bruno Machado Bertassoli FMVZ - USP
  • Amilton Cesar dos Santos FMVZ - USP
  • Naira Caroline Pieri FVZEA - USP
  • Vanessa Cristina de Oliveira FVZEA - USP
  • Celina Almeida Mançanares FVZEA
  • Ana Flávia de Carvalho UNIFEOB

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2011v24n2p83

Palavras-chave:

Morfologia, Quati, Glândula Prepucial

Resumo

A proposta desta pesquisa é descrever a glândula prepucial do Nasua nasua. Utilizaram-se oito quatis provenientes do Criatόrio Científico Cecrimpas (Unifeob); as glândulas prepuciais foram analisadas, dissecadas e descritas macro e microscopicamente, visando estabelecer sua classificação morfofuncional para, assim, poder compará-las com as de outras espécies já descritas na literatura. Amostras de tecido glandular foram coletadas, coradas (Hematoxilina e Eosina, Azul Toluidina, e Picrosirius) e analisadas através da microscopia de luz. Todos os resultados foram compilados e fotodocumentados. Na espécie citada, essa glândula tem como principal função a demarcação territorial e está situada na porção prepucial do mesmo modo que nos javalis. Em outros animais, como primatas, cervídeos e roedores, essas glândulas demarcatόrias estão localizadas em diferentes regiões anatômicas, como entre os olhos, no metatarso, nas áreas perianais e esternais. Em nosso resultado das medidas biométricas, obtivemos como média 3,8 ± 1,41cm de largura, 3,15 ± 0,93cm de altura e 10,26 ± 1,89cm de circunferência, e essa glândula foi histologicamente classificada como do tipo tubuloalveolar, com secreção holόcrina.

Biografia do Autor

Bruno Machado Bertassoli, FMVZ - USP


Downloads

Publicado

2011-05-05

Edição

Seção

Artigos