A cobra-de-duas-cabeças na percepção dos moradores do povoado de Itatiaia, Minas Gerais

Autores

  • Michelle Barbosa Mateus Universidade Federal de Ouro Preto
  • Lorena Cristina Lana Pinto Universidade Federal de Ouro Preto
  • Mário Ribeiro de Moura Universidade Federal de Viçosa
  • Maria Rita Silvério Pires Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2011v24n3p111

Palavras-chave:

Etnoherpetologia, Anfisbenas, Cobra-de-duas-cabeças, Conhecimento popular

Resumo

Os anfisbenídeos são répteis Squamata de hábito fossorial, conhecidos popularmente como cobra-de-duas-cabeças. São animais pouco conhecidos no meio urbano, embora sejam presentes no cotidiano da população rural. Com o objetivo de registrar o conhecimento popular, bem como lendas e crendices relativas a estes animais, desenvolveu-se um estudo etnobiológico no povoado de Itatiaia, Minas Gerais.  Aspectos ecológicos e biológicos dos anfisbenídeos foram abordados em entrevistas semi-estruturadas aplicadas a 48 moradores do povoado, entre os meses de abril a novembro de 2009. Foram entrevistados apenas os indivíduos que permitiram acesso aos seus conhecimentos e crenças. Os dados foram analisados segundo o modelo de união das diversas competências individuais. De acordo com o número de moradores que foram entrevistados, é possível afirmar que a população classifica os anfisbenídeos como serpentes, os consideram como animais perigosos, favorecendo a morte desses sempre que encontrados. A etnozoologia pode ser utilizada como uma importante ferramenta para se obter informações sobre os anfisbenídeos e, se associada a atividades educativas, pode também contribuir para a conservação destes animais.

Biografia do Autor

Michelle Barbosa Mateus, Universidade Federal de Ouro Preto

Formada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Ouro Preto. Mestranda em Biologia Animal pela Universidade Federal de Viçosa, Departamento de Biologia Animal, Laboratório de Ornitologia.

Downloads

Publicado

2011-06-14

Edição

Seção

Artigos