Percepção ambiental sobre "meio ambiente" e "educação ambiental" de seringueiros no sudoeste da Amazônia, Mato Grosso, Brasil.

Autores

  • tatiane zillmer-oliveira unemat
  • Márcia Helena Vargas Manfrinato Unemat

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2011v24n3p119

Palavras-chave:

Percepção, Meio ambiente, Educação ambiental

Resumo

A conversão das áreas naturais em áreas agricultadas é considerada o principal impacto ambiental resultante das atividades humanas e constitui uma ameaça à biodiversidade. Isso pode estar relacionado ao nível de compreensão e percepção da sociedade entre a problemática ambiental e as atividades agrícolas. O objetivo deste trabalho foi investigar a percepção ambiental dos moradores da comunidade Seringal, inserida na Bacia do Rio Xingu, Querência-MT, com o propósito de conhecer as relações existentes entre eles e os espaços naturais existentes no local. A maioria dos seringueiros não consegue associar o meio ambiente e a educação ambiental ao seu cotidiano. Alguns seringueiros concebem o ambiente como natureza intocada, privilegiando os aspectos naturais, excluindo-os como parte do ambiente. A educação ambiental é vista apenas como ato de conservar a natureza. Neste sentido, a investigação da percepção ambiental constitui uma ferramenta imprescindível para projetos de pesquisa que abordem as relações ser humano-ambiente.

Biografia do Autor

tatiane zillmer-oliveira, unemat

Departamento de Biologia.

Márcia Helena Vargas Manfrinato, Unemat

Departamento de Turismo

Downloads

Publicado

2011-06-28

Edição

Seção

Artigos