Fragmentação da floresta com araucária e ecossistemas associados no corredor ecológico Chapecó, Santa Catarina

Autores

  • Gisele Garcia Alarcon Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2011v24n3p25

Palavras-chave:

Fragmentação, Floresta com Araucária, Corredor Ecológico

Resumo

Restam cerca de 2% da área de distribuição original da Floresta com Araucária, menos de 1% está protegida em Unidades de Conservação. Em Santa Catarina, a sub-bacia do rio Chapecó foi objeto de estudo para a criação de um Corredor Ecológico estadual, com apoio do Projeto Microbacias 2, entre os anos de 2007 e 2009. Métricas de paisagem forneceram importantes subsídios para a avaliação do seu estado de conservação e zoneamento. A sub-bacia delimitada como área do Corredor Ecológico Chapecó totaliza cerca de 5 mil km², com 50,5% de remanescentes naturais e 42,7% de atividades agropecuárias. A Floresta com Araucária com influência da Floresta Estacional Decidual possui 15 fragmentos maiores que 500 hectares. Das 83 microbacias hidrográficas estudadas, 20,5% possuem mais de 60% de cobertura vegetal, embora 57,5% possuam entre 10% e 30% de remanescentes em Áreas de Preservação Permanente. Estima-se que a sub-bacia possua 111 mil hectares de estoque incremental florestal em propriedades privadas, além dos remanescentes naturais incluídos em três Unidades de Conservação de Proteção Integral. As formações florestais do Corredor Ecológico Chapecó representam os últimos remanescentes contínuos da Floresta com Araucária da região oeste catarinense.

Biografia do Autor

Gisele Garcia Alarcon, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais da Universidade Federal de Santa Catarina. Consultora autônoma da Caipora Cooperativa para Conservação da Natureza

Downloads

Publicado

2011-05-23

Edição

Seção

Artigos