Utilização das brânquias de Pimelodus maculatus (Lacèpéde, 1803) (Siluriformes; Pimelodidae) como biomarcador de poluição no reservatório da UHE Marechal Mascarenhas de Moraes, Minas Gerais, Brasil.

Autores

  • Diego José Nogueira FESP/UEMG
  • Sumaya Cardoso de Castro UEMG
  • Roberta Cristina Amâncio Vieira UEMG
  • Odila Rigolin de Sá UEMG
  • Valter Monteiro de Azevedo Santos UEMG

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2011v24n3p51

Palavras-chave:

Ecotoxicologia, Xenobióticos, Toxicidade, Reservatórios

Resumo

As brânquias dos peixes são biomarcadores da toxicidade ambiental que, frequentemente, são utilizados na avaliação dos impactos causados por xenobióticos. O presente estudo visa avaliar a contaminação do reservatório Marechal Mascarenhas de Moraes, através da estimativa do índice de alterações morfológicas nas brânquias do Pimelodus maculatus causadas por agentes tóxicos. Os exemplares de P. maculatus foram co­letados em três pontos do reservatório da UHE Marechal Mascarenhas de Moraes. No próprio local de coleta, imediatamente, as brânquias dos indivíduos coletados foram retiradas e fixadas com Bouin. Estas foram coradas com Hematoxilina-Eosina para análise em microscopia de luz. A quantificação das alterações foi realizada por estereologia, e os índices das alterações foram estimados, classificando-se as lesões de moderado a graves nos três pontos de estudo.

Biografia do Autor

Diego José Nogueira, FESP/UEMG

Atualmente, cursa Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Minas Gerais. Atua na área de Ecologia Aplicada atuando principalmente em estudos de ecotoxicidade, com ênfase aos peixes. Na área de morfologia atua no seguinte tema: Histopatologia em Brânquias e Fígado. Atualmente é Bolsista de Iniciação Científica 2007- 2009, pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq e apoiado pela FESP/UEMG atua como voluntário no projeto, Gerenciamento Ambiental: Estudo do reservatório da UHE Marechal Mascarenhas de Moraes da bacia hidrográfica do médio rio Grande-MG, aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais FAPEMIG, 2008 - 2010 , Com o objetivo de avaliar a UHE Marechal Mascarenhas de Moraes" através de testes de toxicidade, métodos bioquímicos e fisiológicos, alterações histopatológicas e da comunidade bentônica.

Sumaya Cardoso de Castro, UEMG

Atualmente é Estagiario do Fundação de Ensino Superior de Passos. Tem experiência na área de Ecologia.

Roberta Cristina Amâncio Vieira, UEMG

Possui graduação em Ciências Biológicas - Licenciatura pela Faculdades Integradas Fafibe (2006), tendo desenvolvido pesquisa na área de reprodução induzida em peixes de piracema e espécies exóticas. Atualmente cursando Ciências Biológicas- Bacharelado pela Fundação de Ensino Superior de Passos-MG/FESP/UEMG, e especialização em Saneamento Básico e Meio Ambiente pela Faculdade de Engenharia de Passos-MG/FESP/UEMG.

Odila Rigolin de Sá, UEMG

Doutora em Ciências, área de concentração Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (1998), mestre em Ciências da Engenharia Ambiental pela Universidade de São Paulo (1992), Graduada em Ciências Biológicas LIcenciatura e Bacharelado pela Universidade Federal de São Carlos (1986),Graduada em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito de São Carlos (1991). Atualmente é professora adjunto dos cursos de Ciências Biológicas Licenciatura e Bacharelado, do curso de Engenharia Ambiental, Nutrição e Engenharia Agronômica da FESP/UEMG - campus de Passos, coordenadora de Estágios Supevisionado da FAFIPA/FESP/UEMG, orientadora no programa de pós-graduação da Universidade do Estado de Minas Gerais, Rede Inca, no curso de Ciências Ambientais. Membro efetivo do Comite de Ética da FESP/UEMG-campus de Passos-MG. Coordenadora de projetos Científicos pela Fapemig e pela FESP/UEMG. Orientadora de Iniciação Científica pela Fapemig, CNPq e pelo PIBIC/UEMG-campus de Passos-MG, orientadora de TCC nos cursos de Ciências Biológicas Licenciatura e Bacharelado da FAFIPA/FESP/UEMG e do curso de Engenharia Ambiental da FEP/FESP/UEMG, professora de Direito Ambiental do curso de especialização em Gestão Ambiental da FEP/FESP/UEMG- campus de Passos e professora da disciplina de Avaliação de Impacto Ambiental do curso de Direito e Gestão Ambiental da Fafibe. Experiência na área de Microbiologia, Ecotoxicologia, limnologia, legislação ambiental e Ecologia, com ênfase em Recursos Hídricos, Ecologia e Recursos naturais. Coordenadora e responsável Técnica pelo laboratório de Analises Ambientais e de Produtos Alimentícios da FESP/UEMG-campus de Passos. Avaliadora dos projetos de Iniciação Científica da FAPEMIG. Avaliadora de curso de Graduação e Avaliadora Institucional do INEP. SINAES, desde Abril de 2007.

Valter Monteiro de Azevedo Santos, UEMG

Aluno de graduação em Ciências Biológicas com ênfase em ecologia pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP), Campus associado à Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Áreas de interesse na pesquisa científica: Zoologia (vertebrados e, principalmente, invertebrados); etnozoologia (etnoictiologia); recursos pesqueiros; limnologia (funcionamento de ecossistemas lóticos e lênticos); espécies introduzidas em ambientes dulcícolas e lexicografia aplicada à biologia.

Downloads

Publicado

2011-07-05

Edição

Seção

Artigos