Perfil sérico da fosfatase alcalina após o reparo de defeitos osteocondrais com células mononucleares da medula óssea e proteína morfogenética óssea em coelhos

Luiz Augusto Souza, Benito Juarez Nunes Alves de Oliveira, Duvaldo Eurides, Ednaldo Carvalho Guimarães, Luiz Antônio Franco da Silva, Lorena Borges Alves, Ana Flávia Delben Pereira Arruda, Taís Andrade Dias

Resumo


Verificou-se a atividade da fosfatase alcalina sérica em resposta ao reparo de defeitos osteocondrais em vinte e quatro coelhos da raça Nova Zelândia. Distribuídos em três grupos, o controle (GC), o tratado com células mononucleares da medula óssea (GCM) e o que recebeu células mononucleares autólogas com proteína morfogenética óssea (GCM+BMP). Após exposição do sulco troclear da articulação fêmoro-tíbio-patelar esquerda removeu-se um segmento em forma de cunha. O local foi preenchido com enxerto osteocondral alógeno conservado em glicerina a 98%. No GC foi realizada a enxertia óssea, no GCM além do enxerto foi inoculado 2x106 células mononucleares e no GCM+BMP foi administrada intra-articularmente células associadas á 1 μg de proteína morfogenética óssea. A resposta osteoblástica foi mensurada por meio da análise sérica de fosfatase alcalina no dia 0 (pré-operatório) 3, 15, 30, 45 após cirurgia, além do acompanhamento por exames radiográficos. Procedeu-se a análise de variância em blocos ao acaso, esquema fatorial e teste de Tukey (p=0,05). A média geral do GCM foi superior quando comparada aos outros grupos e as maiores taxas estiveram entre o 15° e 45° dias de pós-operatório. A discrepância dos valores entre os indivíduos do mesmo grupo proporcionam dúvidas na veracidade do teste.

Palavras chave: Células-tronco, Consolidação de fraturas, Marcador ósseo


Palavras-chave


Células-tronco; Consolidação de fraturas; Marcador ósseo

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2011v24n4p103

Direitos autorais 2011 Luiz Augusto Souza, Benito Juarez Nunes Alves de Oliveira, Duvaldo Eurides, Ednaldo Carvalho Guimarães, Luiz Antônio Franco da Silva, Lorena Borges Alves, Ana Flávia Delben Pereira Arruda, Taís Andrade Dias

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.