Condicionamento osmótico e desempenho fisiológico de sementes de rúcula

Autores

  • Jarbas Alves Unesp / Ilha Solteira
  • Rafael Marani Barbosa Unesp Jaboticabal
  • Denis Santiago da Costa Esalq/USP
  • Marco Eustáquio de Sá Unesp / Ilha Solteira

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n1p171

Palavras-chave:

Classificação do vigor de plântulas, Eruca sativa, Polietilenoglicol (PEG), Vigor

Resumo

A rúcula é uma hortaliça folhosa que tem ganhado espaço na oferta de alimentos em várias regiões do Brasil. Sua multiplicação se dá unicamente por sementes e, sendo assim, torna-se imperioso o uso de material propagativo de alta qualidade para a implantação da lavoura. Estudos mostram que o condicionamento fisiológico de sementes promove melhorias na velocidade e na uniformidade do estabelecimento de plântulas no campo. Assim, o presente trabalho foi realizado com o objetivo de verificar o efeito do condicionamento osmótico sobre o desempenho de sementes de rúcula. Cinco lotes da cultivar Cultivada, foram submetidas ao condicionamento osmótico por 24 horas, utilizando-se os potenciais osmóticos de 0,0, -0,1, -0,2, -0,3 MPa, obtidas através de solução de Polietilenoglicol (Carbonax 6000). Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado com 20 tratamentos (5 lotes × 4 potenciais osmóticos) e quatro repetições. As médias foram comparadas pelo teste de Tukey e análises de regressão para os potencias osmóticos. Os dados mostraram que o condicionamento osmótico provocou melhoria na germinação e na percentagem de plantas fortes em termos de vigor.

Downloads

Publicado

2011-09-30

Edição

Seção

Comunicações Breves