Desempenho comparativo em tanques-rede de três linhagens da tilápia do Nilo – Oreochromis niloticus: comum, chitralada e mestiço

Ida Vanderlei Tenório

Resumo


O objetivo deste experimento foi comparar o desempenho de três linhagens de tilápia do Nilo em tanquesrede: linhagem chitralada (T1), linhagem comum (T2), mestiço (T3), com três repetições, durante 98 dias. Os peixes foram estocados em nove tanques-rede com volume útil de 1m3 cada, contendo 200 peixes/m3, em um viveiro de 2.500m2 e 1,6m de profundidade média. As tilápias foram alimentadas com ração contendo 32% de proteína bruta e o tamanho do “pellet” foi de 4 a 6mm. Foram realizadas mensurações com amostra de 20 peixes/tanque. Semanalmente foram monitoradas variáveis da água: temperatura, pH, oxigênio dissolvido e condutividade elétrica, às 5h da manhã. Foram comparados: ganho em peso, conversão alimentar, biomassa produzida, taxa de crescimento específico e sobrevivência. O mestiço não apresentou diferença significativa quando comparado à linhagem chitralada, porém quando estas duas linhagens foram comparadas à linhagem comum, houve diferença significativa para ganho em peso (342,02g; 332,25g; 231,5g) biomassa produzida (66,27; 69,16; 43,51kg/m³) e crescimento específico (1,83; 2,02; 1,59). A conversão alimentar não diferiu significativamente entre os tratamentos (1,66; 1,68; 1,47). Para sobrevivência o mestiço não diferiu entre as duas outras linhagens, contudo a linhagem chitralada diferiu significativamente da linhagem comum (97,67%, 94,00%). Conclui-se que a linhagem Chitralada como também o mestiço são adequadas ao sistema de criação em tanques-rede.



Palavras-chave


Desempenho Zootécnico; Linhagens de tilápia; Oreochromis niloticus; Tanques-rede

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n1p65

Direitos autorais 2012 Ida Vanderlei Tenório

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.