Variação sazonal da fauna selvagem atropelada na rodovia MG 354, Sul de Minas Gerais – Brasil

Autores

  • André Pracucci Universidade Federal de Lavras
  • Clarissa Alves da Rosa Universidade Federal de Lavras
  • Alex Bager Universidade Federal de Lavras

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n1p73

Palavras-chave:

Ecologia de estradas, Sazonalidade, Taxa de atropelamento, Vertebrados

Resumo

Objetivamos avaliar a variação sazonal de atropelamentos de animais silvestres em 13km da rodovia MG 354, sul de Minas Gerais. Realizamos 36 monitoramentos ao longo de um ano utilizando uma bicicleta (20km/h) para amostrar anfíbios, répteis, aves e mamíferos atropelados. Categorizamos os indivíduos com mais e menos de 500g para estimar os impactos de atropelamento em relação ao tamanho dos animais e avaliamos a variação sazonal nas taxas de atropelamentos (indivíduos/km/dia). Os animais menores dominaram nossas amostragens, com 87% dos animais atropelados com peso inferior a 500g. Acreditamos que a baixa velocidade de monitoramento empregada no nosso trabalho tenha aumentado a taxa de detecção de animais menores, porém, essa hipótese necessita ser testada. A estação com as maiores taxas de atropelamento foi o verão, que diferiu significativamente da primavera, devido, principalmente, ao incremento dos atropelamentos de répteis no verão. Observamos esta sequência nas taxas de atropelamento: verão > outono > inverno > primavera. Acreditamos que os regimes de precipitação na nossa área de estudo sejam os responsáveis pela variação sazonal dos atropelamentos.

Biografia do Autor

André Pracucci, Universidade Federal de Lavras

Clarissa Alves da Rosa, Universidade Federal de Lavras

Alex Bager, Universidade Federal de Lavras

Downloads

Publicado

2011-11-14

Edição

Seção

Artigos