Probiótico e enzimas na alimentação de frangos de corte: efeitos na metabolizabilidade das dietas e produção de dejetos na fase de crescimento

Autores

  • Ione Iolanda dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n2p187

Palavras-chave:

Amilase, dejetos, nitrogênio, trigo, xilanase

Resumo

Foram utilizados frangos machos Ross para avaliar o efeito de probiótico e enzimas em dietas com dois níveis de energia. A dieta com o nível padrão de energia foi baseada em milho e farelo de soja e a dieta com baixa energia com milho e farelos de soja e trigo. Cada nível de energia recebeu quatro tratamentos: Sem aditivo; enzimas; probiótico e; enzimas mais probiótico. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso e cada tratamento teve 5 repetições de 8 aves. Calculou-se o efeito dos aditivos sob a metabolizabilidade da matéria seca, energia bruta, proteína bruta e a energia metabolizável aparente. Também foi calculada a produção de dejetos (PD), excreção de água (EA) e nitrogênio (EN). Houve efeito (P<0,001) da energia nos parâmetros de metabolizavilidade e na PD, ES e EN. Conclui-se que, dietas com baixa energia foram menos digestíveis do que aquelas com energia padrão e que a adição dos aditivos isolados ou em combinação não foi capaz expressar aumento na metabolizabilidade da dieta e baixar a produção de dejetos.

Biografia do Autor

Ione Iolanda dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Agronomia (1999) e mestrado em Agroecossistemas (2002) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Em 2010 obteve o título de Doutor em Zootecnia pela Universidade Federal do Rio grande do sul. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Avicultura, atuando principalmente nos seguintes temas: nutrição de monogástricos, aditivos para ração animal e análises de laboratórios (bromatológica, cromatográficas e moleculares).

Downloads

Publicado

2012-02-14

Edição

Seção

Artigos