Estrutura populacional de Trachelyopterus albicrux (Siluriformes, Auchenipteridae) no rio Ibicuí, Rio Grande do Sul, Brasil.

Autores

  • Everton Luís Zardo Universidade Federal de Santa Maria
  • Everton Rodolfo Behr Unidade Descentralizada de Educação Superior da UFSM em Silveira Martins

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n2p67

Palavras-chave:

Estrutura, Ibicuí, população, Proporção sexual, Trachelyopterus

Resumo

O objetivo deste trabalho é determinar alguns aspectos biológicos de Trachelyopterus albicrux, analisando a estrutura populacional em relação à proporção sexual, estrutura em comprimento e relação peso/comprimento. Foram realizadas coletas bimestrais, de dezembro de 1999 a janeiro de 2002 em ambientes lóticos e lênticos em pontos localizados no trecho entre os municípios de São Vicente do Sul e Itaqui, Rio Grande do Sul. Foram utilizados 10 m de redes de espera com malhas de 1,5; 2,0; 2,5 e 3,0 cm; 20 m de redes de espera com malhas de 4,0; 5,0; 6,0; 8,0 e 10,0 cm; feiticeiras 4,0/20,0; 5,0/20 e 6,0/20,0 (todas as malhas medidas entre nós adjacentes). As redes de espera permaneceram na água por 24 horas, sendo revisadas a cada seis horas (6h, 12h, 18h e 24h). Foram capturados 122 machos e 112 fêmeas, com comprimento padrão (Ls) médio de 13,27 cm e peso total (Wt) médio de 95,95 g. A relação peso/comprimento foi estabelecida através da seguinte equação: Y= a+bX (Y= -191,21+21,17X) para machos e Y=a+bX (Y= -171,71+19,9X) para fêmeas. Trachelyopterus albicrux apresentou crescimento tipo alométrico, com o valor do coeficiente da equação de regressão linear igual a 3,2 para machos e 3,4 para fêmeas.

Biografia do Autor

Everton Luís Zardo, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Zootecnia, ictiologia

Downloads

Publicado

2012-03-26

Edição

Seção

Artigos