Cobalto e molibdênio via foliar em amendoim: características agronômicas e potencial fisiológico das sementes

Alexandre Costa da Silva, Denis Santiago da Costa, Rafael Marani Barbosa, Edson Lazarini

Resumo


A cultura do amendoim vem ganhando cada vez mais importância no cenário nacional, devido ao fato da cultura ser utilizada em áreas de renovação de canaviais e pastagens. A utilização dos grãos tem como principal destino a indústria de doces e confeitos, além da exploração para a produção de biodiesel. O presente trabalho objetivou verificar a influência da aplicação de doses de fertilizante foliar a base de Co e Mo, em cultivares de amendoim. O experimento foi conduzido  no cerrado, na época das águas, e os tratamentos constaram da aplicação de Co e Mo nas doses de 0; 400 e 800 g.ha-1, em duas cultivares de amendoim: Runner IAC 886 e IAC Tatu ST. Como resultado observou-se que somente ocorreram diferenças nos parâmetros quando foi estudado as cultivares, sendo que não houve resposta para as doses crescentes de cobalto e molibdênio. A aplicação foliar de cobalto e molibdênio em doses até 800 g.ha-1 no início do estádio de formação de sementes não altera as características agronômicas da cultura do amendoim; a cultivar Runner IAC 886 é mais produtiva que IAC Tatu ST; sementes com maior teor de molibdênio não representa sementes de maior potencial fisiológico.


Palavras-chave


Produção, potencial fisiológico,micronutrientes

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n2p9

Direitos autorais 2012 Alexandre Costa da Silva, Denis Santiago da Costa, Rafael Marani Barbosa, Edson Lazarini

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.