Biometria, razão sexual e dimorfismo sexual de Trachemys dorbigni (Duméril & Bibron 1835) (Testudines, Emydidae) em um açude no município de São Gabriel, Rio Grande do Sul, Brasil

Melise Lucas Silveira, Marilia Teresinha Hartmann, Alex Bager

Resumo


Com o intuito de se estudar a estrutura de uma população de Trachemys dorbigni, foram realizadas coletas durante o período de março de 2009 a fevereiro de 2010, em um açude (30º20’16,03”S e 54º15’46,68”W), no município de São Gabriel, Rio Grande do Sul, Brasil. Foram coletados 44 indivíduos, sendo 34 fêmeas, sete machos e três juvenis. A razão sexual encontrada foi diferente de 1:1 (4,85 fêmeas:1 macho). O comprimento médio da carapaça dos adultos foi igual a 190,50 ± 22,81mm (N=41) e a massa média foi igual a 1,210 ± 420g (N=37). Os machos apresentaram comprimento médio da carapaça de 179,10 ± 18,60mm (N=7) e as fêmeas, de 192,90 ± 23,10mm (N=34). As fêmeas mostraram-se significativamente maiores do que os machos em seis medidas das onze obtidas e menores em apenas uma medida, comprimento da base da cauda ao orifício cloacal. A análise discriminante mostrou diferenças morfológicas significativas entre machos e fêmeas (P<0,05; F3.37=21,02; Wilks’ lambda=0,36), indicando a distância terminal entre a carapaça e o plastrão, o comprimento curvilíneo da carapaça e o comprimento da base da cauda ao orifício cloacal como variáveis importantes na diferenciação entre os sexos.


Palavras-chave


Estrutura populacional; Morfometria; Tigre d’água; Variação da forma

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n3p187

Direitos autorais 2012 Melise Lucas Silveira, Marilia Teresinha Hartmann, Alex Bager

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.