Composição e abundância relativa dos mamíferos terrestres de médio e grande porte do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro, Minas Gerais, Brasil

André Valle Nunes, Leandro Moraes Scoss, Gisele Mendes Lessa

Resumo


Três áreas no norte do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro (PESB) foram amostradas em relação à fauna de mamíferos terrestres de médio e grande porte, através de armadilhas fotográficas, ao longo de 12 meses. Foram registradas nove espécies silvestres e uma doméstica, a partir de 46 registros. A composição da comunidade foi baseada numa série exponencial com dominância de poucas espécies. Em contraposição, houve uma proporção relativamente alta de espécies que seriam “raras” para a comunidade observada, com dominância da onça-parda (Puma concolor) sobre as demais espécies. Os resultados demonstram que a área denominada Vale Perdido é a mais importante para a conservação da mastofauna, pois nessa área a estimativa de riqueza de espécies é maior (13,99 ± 2,23) se comparada com a das outras duas áreas, que tiveram uma riqueza de 6,00 ± 1,41 e 6,00 ± 1,00, respectivamente. É possível que características estruturais e espaciais do Vale Perdido favoreçam o uso dessa área pelas espécies. A estrutura da comunidade de mamíferos terrestres de médio e grande porte do PESB encontra-se desestruturada ou em fase de estruturação. Possivelmente, esse modelo foi ocasionado por efeitos históricos negativos da ocupação e do extrativismo que a região sofreu na década 1960.


Palavras-chave


Armadilhas fotográficas; Conservação; Fragmentação; Mastofauna; Mata Atlântica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n3p205

Direitos autorais 2012 André Valle Nunes, Leandro Moraes Scoss, Gisele Mendes Lessa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.