Manutenção da diversidade agrícola em assentamentos rurais: um estudo de caso em Moji-Mirim – SP, Brasil

Carolina Araujo

Resumo


Este estudo investigou se os agricultores, quando estabelecidos em assentamentos rurais, mantêm algumas características tradicionais em relação à diversidade de cultivos e circulação de material de plantio. Seus objetivos foram realizar um levantamento etnobotânico das espécies e variedades e analisar a dinâmica de circulação de sementes e propágulos. Foram levantadas no total 139 variedades de cultivos alimentares (55 espécies/28 famílias), sendo 87% delas destinadas ao autoconsumo; 54% das variedades são oriundas de Minas Gerais, estado natal da maioria dos entrevistados. O número de variedades cultivadas por unidade doméstica variou de 17 a 54. A circulação informal e livre de material de plantio é a forma mais importante de aquisição. A rede de circulação é bastante ativa, evidenciando um potencial para o manejo da diversidade dos cultivos, com destaque para a contribuição dos assentados para conservação e valorização das variedades tradicionais.


Palavras-chave


Agrobiodiversidade; Agricultura de subsistência; Assentamento rural; Circulação de sementes e propágulos

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n3p265

Direitos autorais 2012 Carolina Araujo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.