Morfologia do plexo lombossacral da jaguatirica (Leopardus pardalis)

Jessica Albuquerque Lopes, Lara Cochete Moura Fé, Ana Rita Lima, Luiza Corrêa Pereira, Érika Branco

Resumo


Conhecido popularmente como jaguatirica, o Leopardus pardalis está presente no Brasil, em todos os ecossistemas, mas preferencialmente nas matas ciliares e florestas. Este trabalho objetivou elucidar aspectos macroscópicos referentes à anatomia do plexo lombossacral. Foram utilizados três animais, sendo dois machos e uma fêmea, provenientes da área de Mina Bauxita - Paragominas-PA, doados após morte por atropelamento ao Laboratório de Pesquisa Morfológica Animal (LaPMA), da Universidade Federal Rural da Amazônia. Os animais foram fixados em solução aquosa de formaldeído a 10%, seguido de dissecação dos membros pélvicos com o objetivo de expor os nervos, removendo-se parcialmente alguns músculos, dissecando-se a origem do plexo desde a intumescência lombar. Em dois animais, o nervo femoral apresentou origem no quarto nervo lombar (L4), seguindo e se transformando em nervo safeno. O nervo obturatório e o nervo isquiático tiveram origem no último nervo lombar (L5), porém, este último se dividiu em ramos originando os nervos tibial e fibular comum, originando dorsalmente os nervos glúteo caudal e glúteo cranial. 




Palavras-chave


Anatomia; Leopardus pardalis; Plexo lombossacral; Sistema nervoso

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n4p215

Direitos autorais 2012 Jessica Albuquerque Lopes, Lara Cochete Moura Fé, Ana Rita Lima, Luiza Corrêa Pereira, Érika Branco

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.