Respostas de tambaquis ao estresse por transporte após alimentação com dietas suplementadas com β-glucano

Edsandra campos chagas, Lucelle Dantas de Araújo, Cheila de Lima Boijink, Luis Aoki Inoue, Levy de Carvalho Gomes, Flávio Ruas Moraes

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar as respostas fisiológicas de estresse de tambaquis (Colossoma macropomum) alimentados com dietas suplementadas com β-glucano e submetidos ao transporte em sistema fechado. Para isso, tambaquis (35,06±0,80g; 11,8±0,09cm) foram alimentados com dieta suplementada com β-glucano (0; 0,1; 0,2; 0,4; e 0,8%.kg-1) por 60 dias. Após esse período, os peixes foram transportados em rodovia por 3h em sistema fechado. Foram avaliadas as respostas de estresse por meio de indicadores hormonais, bioquímicos e hematológicos nos seguintes períodos: antes do transporte, imediatamente após o transporte, e 24 e 48h depois do transporte. Houve, imediatamente após o transporte, aumento significativo da concentração plasmática de cortisol e de glicose em todos os tratamentos comparados à concentração antes do transporte; houve elevação da concentração de hemoglobina nos peixes que receberam dieta não suplementada com β-glucano; e houve elevação da hemoglobina corpuscular média nos peixes que receberam dietas não suplementada ou suplementada com 0,1 e 0,2% de β-glucano. Os resultados permitiram estabelecer que as alterações hormonais, bioquímicas e hematológicas ocorreram imediatamente após o transporte, com retorno às concentrações basais após 24h. A suplementação de β-glucano na dieta do tambaqui não foi eficiente para mitigar as respostas ao estresse por transporte.




Palavras-chave


Colossoma macropomum; Fisiologia; Imunoestimulantes; Piscicultura

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n4p221

Direitos autorais 2012 Edsandra campos chagas, Lucelle Dantas de Araújo, Cheila de Lima Boijink, Luis Aoki Inoue, Levy de Carvalho Gomes, Flávio Ruas Moraes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.