Vertebrados silvestres atropelados na BR 158, RS, Brasil

Daniela da Silva Oliveira, Valeska Martins da Silva

Resumo


Entre os problemas que ameaçam a fauna silvestre, o atropelamento de animais é uma importante causa de mortalidade para várias espécies. O presente estudo visou identificar as espécies vitimadas por atropelamento em 98km da rodovia BR 158, entre o município de Cruz Alta e o distrito de Val de Serra, município de Júlio de Castilhos, RS e analisar as variações mensais nas taxas de atropelamento e sua correlação com o volume mensal de chuvas. Foram realizadas expedições mensais, entre os meses de abril a setembro de 2007, onde se registrou 61 animais atropelados pertencentes a 15 espécies, com uma taxa de atropelamento de 0,10 ind./km/mês. As espécies com maior número de atropelamentos foram o zorrilho (Conepatus chinga), com 17 indivíduos (28%), seguida pelo graxaim-do-campo (Lycalopex gymnocercus), com sete (11%) e o graxaim-do-mato (Cerdocyon thous), com cinco (8%). Não foi encontrada diferença nas taxas de atropelamento entre os meses amostrados, contudo, o mês com maior registro de atropelamentos foi setembro (n=18). Também não foi verificada correlação entre os atropelamentos e a precipitação mensal, no entanto, há uma tendência entre a ocorrência dos atropelamentos com um volume maior de chuvas. 




Palavras-chave


Ecologia de estradas; Rodovias; Taxa de atropelamentos

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n4p229

Direitos autorais 2012 Daniela da Silva Oliveira, Valeska Martins da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.