Origens e distribuições das artérias mesentéricas cranial e caudal em fetos de javalis (Sus scrofa scrofa, Linnaeus – 1758)

Andrea Regina Abrantes Gomes, Frederico Ozanam Carneiro e Silva, Lucas Assis Ribeiro, Tharlianne Alici Martins de Souza

Resumo


Estudou-se o comportamento anatômico das artérias mesentéricas cranial e caudal em 21 fetos de javalis, fêmeas e machos, nos quais foi injetada, através da aorta torácica, solução de Neoprene Látex “450”, corada com pigmento específico e, em seguida, eles foram fixados em solução de formol a 10%. A análise dos resultados permitiu afirmar que a artéria mesentérica cranial originou-se da aorta abdominal, caudalmente à artéria celíaca, emitiu ramos adrenais direito e esquerdo, pancreáticos, e as artérias pancreático-duodenal caudal, jejunais, cólicas média e direita, e ileocecocólica. A artéria mesentérica caudal surgiu da aorta abdominal, de seu terço caudal, e emitiu as artérias cólica esquerda e retal cranial. Foram verificadas anastomoses entre artérias jejunais, cólica esquerda e retal cranial, e cólicas esquerda e média. Nas três espécies, as artérias mesentéricas cranial e caudal, pancreático-duodenal caudal, jejunais, cólicas direita e média, e ileocecocólica apresentaram padrões vasculares semelhantes, visto que as diferenças quanto a emissão de ramos ou surgimento isolado ou em tronco comum não alteraram o suprimento sanguíneo.




Palavras-chave


Anatomia comparada; Aparelho digestório; Irrigação; Suidae

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n1p159

Direitos autorais 2013 Andrea Regina Abrantes Gomes, Frederico Ozanam Carneiro e Silva, Lucas Assis Ribeiro, Tharlianne Alici Martins de Souza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.