A comunidade arbórea de um fragmento urbano de Floresta Atlântica após 40 anos de sucessão secundária (Juiz de Fora, Minas Gerais)

Breno Moreira, Fabrício Alvim Carvalho

Resumo


Neste estudo, objetivou-se avaliar a estrutura e a diversidade da comunidade arbórea de um fragmento urbano de floresta estacional semidecidual no campus da Universidade Federal de Juiz de Fora-MG. As árvores (DAP ≥ 5 cm) foram amostradas em 15 parcelas aleatórias de 20 x 20 m. Ao todo, foram amostrados 920 indivíduos (1.533 ind.ha-1), distribuídos em 48 espécies, pertencentes a 24 famílias botânicas, dentre as quais Fabaceae (12 espécies), Euphorbiaceae (5 espécies) e Melastomataceae (4 espécies) e apresentaram maior riqueza. A comunidade apresentou forte dominância específica, com grande concentração dos valores de importância (VI) distribuídos nas cinco primeiras espécies (Pinus elliottii; Miconia latecrenata; Tibouchina granulosa; Peltphorum dubium e Syzygium jambos), que, juntas, somaram 51,7% do VI total. Das espécies mais importantes na comunidade, destaca-se a exótica P. elliottii, com VI = 15,9%, sendo possível considerá-la uma invasora capaz de provocar considerável contaminação biológica no local. Como reflexo da forte dominância ecológica, o índice de diversidade de espécies de Shannon (H’ = 2,84 nats.ind-1) e a riqueza (48 espécies) foram baixos em comparação com florestas secundárias de mesma fitofisionomia da região. Este estudo possibilitou identificar os padrões gerais e particularidades da área, contribuindo para subsidiar a implementação e consolidação de práticas ambientais consistentes para a conservação da diversidade.

 


Palavras-chave


Diversidade arbórea; Espécies exóticas; Fitossociologia; Floresta secundária; Floresta urbana

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n2p59

Direitos autorais 2013 Breno Moreira, Fabrício Alvim Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.