Sistema de pré-aviso para controle de Sigatoka-amarela no norte de Minas Gerais

Autores

  • Sara de Almeida Rios Embrapa Amazônia Ocidental
  • Mário Sérgio Carvalho Dias EPAMIG - CTNM
  • Zilton José Maciel Cordeiro EMBRAPA MANDIOCA E FRUTICULTURA
  • Wagner Martins de Souza UNIMONTES - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS
  • João José Costa Silva UER - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE RORAIMA
  • José Aparecido Alves Barbosa UNIMONTES - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS
  • Renata Silva Canuto de Pinho Universidade Federal do Pampa
  • Samuel Campos Abreu Embrapa Produtos e Mercado
  • Leandra Oliveira Santos EPAMIG/CTNM – Centro Tecnológico do Norte de Minas

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n3p109

Palavras-chave:

Banana, Fungicidas, Musa sp., Mycosphaerella musicola, Sistema de pré-aviso

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi avaliar o Sistema de Pré-Aviso Biológico (SPB) para o controle da Sigatoka-amarela no Norte de Minas. O ensaio foi conduzido no município de Nova Porteirinha, MG. Foram testados sete tratamentos, utilizando seis valores de soma bruta (SB) (1.000; 1.300; 1.600; 1.900; 2.200 e 2.500) e o controle sistemático da doença a cada 15 dias. Os tratamentos foram distribuídos em sete talhões (120 plantas/talhão) com ‘Prata-Anã’ e 10 plantas de cada talhão foram avaliadas semanalmente quanto à taxa de emissão foliar e incidência da doença nas folhas dois, três e quatro. Os estádios mais avançados das lesões e a sua intensidade serviram para cálculo da soma bruta, que auxiliou na tomada de decisão para o controle químico. Foram coletados os dados de produção e análises de firmeza, pH e acidez dos frutos. Para o tratamento SB 2.500, considerando os dois anos de avaliação, houve uma redução de doze para três aplicações, ou seja, 75% menos defensivos aplicados, sem perda na produtividade. Logo, sugere-se, considerando as condições de Nova Porteirinha, a aplicação do SPB para o controle químico da Sigatoka-amarela, utilizando-se o valor de SB de 2.500 como indicador da época correta para a realização da pulverização.

Biografia do Autor

Sara de Almeida Rios, Embrapa Amazônia Ocidental

Engenheira Agrônoma pela Universidade Estadual de Montes Claros (2006). M. Sc. e D.Sc. em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal de Viçosa (2010). Atualmente é Pesquisadora da Embrapa Amazônia Ocidental/CPAA e Curadora dos Bancos Ativos de Germoplasma de dendê e caiaué, atuando nas áreas de Recursos Genéticos, Pré-Melhoramento e Melhoramento genético destas espécies

Downloads

Publicado

2013-04-15

Edição

Seção

Artigos