Teor e acúmulo de nutrientes pelo meloeiro rendilhado cultivado com potássio e CO2 na água de irrigação

Cristiaini Kano, Quirino Augusto de Camargo Carmello, José Antonio Frizzone, Silvana da Silva Cardoso

Resumo


Objetivou-se avaliar a influência da utilização de água carbonatada e de doses de potássio no teor e no acúmulo de nutrientes pelo meloeiro rendilhado. O experimento foi conduzido na área experimental do Departamento de Engenharia Rural pertencente à ESALQ/USP, em Piracicaba-SP. Utilizaram-se duas casas de vegetação, nas quais foram aplicadas quatro doses de potássio (50; 150; 300 e 600 kg.ha-1 de K2O) via água de irrigação por gotejamento. Somente em uma das casas de vegetação foram aplicados 301,8 kg.ha-1 de CO2 via água de irrigação, porém, de forma separada da aplicação de potássio. O delineamento experimental adotado foi o de blocos casualizados em esquema fatorial com quatro repetições, totalizando 32 parcelas, sendo cada parcela formada por 13 plantas. Os dados do teor de nutrientes em cada época e o acúmulo de nutrientes no final do ciclo foram submetidos à análise de variância e, em caso de efeito significativo, utilizou-se a análise de regressão para verificar o efeito de doses de potássio e o teste de Tukey para comparar o efeito da utilização de CO2. Constatou-se que a aplicação de CO2 diminuiu o acúmulo de potássio e magnésio e, em geral, ocasionou aumento no teor de macronutrientes das plantas. Quanto aos micronutrientes, houve aumento do acúmulo de zinco na parte aérea do meloeiro e o teor de manganês e zinco foi maior em todas as partes das plantas que receberam CO2 na água de irrigação.


Palavras-chave


Água carbonatada; Cucumis melo var. reticulatus Naud.; Cultivo protegido

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n3p19

Direitos autorais 2013 Cristiaini Kano, Quirino Augusto de Camargo Carmello, José Antonio Frizzone, Silvana da Silva Cardoso

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.