Resistência antimicrobiana e ocorrência de micro-organismos patogênicos e indicadores em frangos orgânicos e convencionais: estudo comparativo

Renata Freitas Macedo, Luciane Silvia Rossa, Evelyn von Rosen Stahlke, Deisy Cristina Diez, Saulo Henrique Weber, Sônia Cachoeira Stertz

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar comparativamente a ocorrência de bactérias patogênicas e indicadoras e a resistência antimicrobiana de enterobactérias isoladas de carcaças de frango orgânico e de frango convencional. Foram avaliadas 50 carcaças de frango congeladas, 25 de criação orgânica e 25 convencionais de cinco marcas comerciais adquiridas no Sul e Sudeste do Brasil. Foram realizadas contagens de mesófilos, psicrotróficos, coliformes totais, Escherichia coli, Staphylococcus coagulase positiva e pesquisa de Salmonella sp. A resistência antimicrobiana foi avaliada pelo método de disco-difusão. Os resultados foram analisados por Anova e teste de Tukey para detectar diferenças entre as marcas dentro de cada grupo (orgânico e convencional) e pelo teste de Kolmogorov-Smirnov para detectar diferença entre os grupos orgânico x convencional. As diferenças entre a resistência antimicrobiana nos grupos foram calculadas pelo teste do Qui-quadrado (P<0,05). As carcaças orgânicas apresentaram maior contaminação microbiana em comparação às carcaças convencionais, contudo as enterobactérias isoladas do grupo orgânico mostraram menor resistência antimicrobiana. Tetraciclina foi o antibiótico com a maior frequência de resistência em ambos os sistemas de criação. O uso restrito ou ausente de antibióticos na produção orgânica pode contribuir para o menor risco de transmissão de bactérias antibiótico-resistentes pelo consumo de carne de frango.

 


Palavras-chave


Contaminação microbiológica; Frango orgânico; Resistência a antibióticos

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n3p211

Direitos autorais 2013 Renata Freitas Macedo, Luciane Silvia Rossa, Evelyn von Rosen Stahlke, Deisy Cristina Diez, Saulo Henrique Weber, Sônia Cachoeira Stertz

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.