Diversidade, riqueza e estratificação vertical de espécies de morcegos em um remanescente de Mata Atlântica no Sul do Brasil

Daniel Paulo de Souza Pires, Marta Elena Fabián

Resumo


Neste estudo, avaliou-se a diversidade, riqueza e a composição das espécies de morcegos no dossel e sub-bosque de um remanescente de Mata Atlântica no Sul do Brasil, no município de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Entre julho de 2010 e junho de 2011, morcegos foram capturados por meio de 10 redes de neblina, cinco no dossel e cinco no sub-bosque. Foram calculados o índice de Diversidade de Shannon-Wiener (H’), a riqueza esperada (Chao 1 e Jackknife 2) e o índice de constância das espécies para a área como um todo. Aplicou-se o teste Exato de Fisher para verificar se as capturas foram diferentes no dossel e o sub-bosque. Capturaram-se 107 espécimes de quirópteros, 20 indivíduos de cinco espécies no dossel e 87 indivíduos de sete espécies no sub-bosque. O índice de diversidade foi de 1.481e a riqueza esperada de nove (Chao 1) e 10 (Jackknife 2). O índice de constância revelou que Sturnira lilium e Glossophaga soricina são relativamente comuns na área de estudo. A riqueza registrada representa cerca de 22% das espécies de morcegos listada para o Rio Grande do Sul. A análise de estratificação vertical demonstrou que algumas espécies são mais frequentes no dossel e outras no sub-bosque. 




Palavras-chave


Dossel; Floresta estacional; Sub-bosque

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n4p121

Direitos autorais 2013 Daniel Paulo de Souza Pires, Marta Elena Fabián

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.