Morfologia dos ossos do membro torácico do tamanduá-bandeira

Autores

  • Imara Guimarães Lima Universidade Federal de Lavras
  • Daniel Arrais Biihrer Universidade Federal de Lavras
  • Gregório Corrêa Guimarães Universidade Federal de Lavras
  • Karen Caetany Moreira Universidade Federal de Lavras
  • Matheus Camargos de Britto Rosa Universidade Federal de Lavras
  • Arlei José Birck Universidade Federal do Paraná
  • Fabrício Singaretti de Oliveira Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Camila Souza de Oliveira Guimarães Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n4p141

Palavras-chave:

Acidentes ósseos, Anatomia, Membro torácico, Myrmecophaga tridactyla

Resumo

O tamanduá-bandeira possui uma pelagem cinza acastanhada com tons brancos e negros, seu crânio é alongado, cilíndrico e com ausência de dentes. Sua cauda é longa, com pelos grossos e compridos, assemelhando-se a uma bandeira. Trata-se de uma espécie ameaçada, devido à constante degradação do seu hábitat, além de mortes causadas por queimadas e atropelamentos. Assim, o objetivo deste artigo foi descrever a morfologia dos ossos do membro torácico do Myrmecophaga tridactyla, enfocando seus principais acidentes ósseos. Foram utilizados dois espécimes de tamanduá-bandeira coletados em rodovias no estado de Minas Gerais, mortos após atropelamento. A escápula, o úmero, o rádio, a ulna e os ossos da mão apresentaram características próprias adaptadas ao estilo de vida e aos hábitos da espécie. No geral, a escápula se assemelha à dos seres humanos e o úmero é semelhante ao do tatu, o rádio e a ulna exibem superfícies articulares que possibilitam amplos movimentos de rotação no antebraço, os ossos do carpo também se assemelham em número e forma aos dos seres humanos e os dedos são bem desenvolvidos no tamanduá-bandeira, dotados de garras longas, fortes e cortantes, principalmente a do terceiro dedo. Assim, a descrição anatômica dos ossos do membro torácico do tamanduá-bandeira mostrou-se importante, aprofundando tanto o entendimento dos aspectos funcionais do membro torácico como da anatomia comparada de animais silvestres.



Biografia do Autor

Imara Guimarães Lima, Universidade Federal de Lavras

Graduando em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras.

Daniel Arrais Biihrer, Universidade Federal de Lavras

Graduando em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras.

Gregório Corrêa Guimarães, Universidade Federal de Lavras

Setor de Morfologia do Departamento de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Lavras.

Karen Caetany Moreira, Universidade Federal de Lavras

Graduando em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras.

Matheus Camargos de Britto Rosa, Universidade Federal de Lavras

Graduando em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras.

Arlei José Birck, Universidade Federal do Paraná

Setor de Morfologia do Departamento de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Paraná.

Fabrício Singaretti de Oliveira, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal da Unesp - Jaboticabal.

Camila Souza de Oliveira Guimarães, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Disciplina de Patologia Geral, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).

Downloads

Publicado

2013-08-05

Edição

Seção

Artigos