Caracterização dos fragmentos florestais amazônicos remanescentes na microbacia hidrográfica do rio Taxidermista I em Alta Floresta, MT

Monica Elisa Bleich, Carlos José Silva

Resumo


A manutenção da conectividade dos remanescentes florestais é fundamental, e a preservação da vegetação ripária dos riachos na paisagem, contribui muito com a manutenção da integridade do mosaico de habitats. O objetivo deste estudo foi caracterizar os fragmentos florestais amazônicos remanescentes na microbacia hidrográfica do rio Taxidermista I em Alta Floresta, MT, visando fornecer subsídios para a implantação dos projetos de recuperação das áreas degradadas e a conservação dos fragmentos florestais. Os fragmentos florestais foram vetorizados e posteriormente avaliados seu tamanho, perímetro e distância de cada fragmento a partir da borda até o curso de água mais próximo. Foi também determinado o índice de circularidade, ou da relação borda/interior. Na microbacia estudada foram registrados 63 fragmentos florestais com tamanho variando entre 0,44 e 67,51 ha e perímetro entre 262,67 e 4756,26 m. A distância dos fragmentos florestais até o curso de água mais próximo varia de 0 a 450 m, no entanto 71,4% dos fragmentos estão conectados a um curso de água. Nos fragmentos florestais da microbacia hidrográfica do rio Taxidermista I predomina a forma alongada, apresentam área pequena, mas com grande perímetro/borda em relação ao tamanho, o que os torna suscetíveis ao efeito de borda potencializado pela matriz que abriga a atividade pecuária.



Palavras-chave


Amazônia; Fragmentação da paisagem; Manejo integrado

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n4p45

Direitos autorais 2013 Monica Elisa Bleich, Carlos José Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.