Estudo macroscópico do aparelho digestório de Gracilinanus microtarsus (Wagner, 1842) (Mammalia: Didelphidae)

Autores

  • Luis Miguel Lobo Pós-graduando Facundade de Medicina Veterinária e zootecnia da Universidade do Estado de São Paulo
  • Amilton Cesar dos Santos Universidade do Estado de São Paulo
  • Ricardo Alexandre Rosa Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos
  • Carlos Eduardo Ambrósio Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos -USP
  • Denis Cristiano Briane Prof. Dr. Faculdades Integradas Claretianas-CEUCLAR
  • Gerlane Medeiros Costa Prfa. Dra. Universidade do Estado do Mato Grosso-UNIMAT
  • Ana Flávia de Carvalho Profa. Dra. Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos
  • Celina Almeida Furlanetto Mançanares Profa. Dra Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos Pós-doutoranda FZEA-USP

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2014v27n1p109

Palavras-chave:

Aparelho digestório, Guaiquica, Macroscopia, Marsupiais

Resumo

Gracilinanus microtarsus é um pequeno marsupial pertencente à família Didelphidae. Possui hábito alimentar onívoro/frugívoro sendo, portanto, uma espécie de grande importância ecológica, por ser dispersora de sementes. O objetivo deste estudo é descrever a morfologia macroscópica do aparelho digestório do G. microtarsus. Foram utilizados quatro animais fixados em formaldeído 10%. Os órgãos foram dissecados, mensurados e fotografados. Os animais estudados apresentaram a fórmula dentária 2x I 5/4 C1/1 P 3/3 M 4/4. Esta é a fórmula dentária de toda a família Didelphidae. O dorso da língua apresentou papilas valadas, fungiformes e filiformes. O esôfago tubular revelou as porções cervical, torácica e abdominal. O estômago monocavitário era composto por região glandular e aglandular e pregas gástricas. O intestino delgado apresentou três porções: duodeno, jejuno e íleo. O intestino grosso era composto por: ceco, cólon e reto. A glândula salivar parótida era a maior e apresentava formato achatado. A glândula salivar sublingual, que era a menor, apresentava formato achatado e alongado. A glândula salivar mandibular apresentava formato ovalado. O pâncreas apresentou forma dispersa e aspecto lobulado. O fígado apresentava formato de cúpula e era composto pelos lobos medial direito, quadrado, lateral direito, medial esquerdo, lateral esquerdo e caudado. O aparelho digestório dos animais estudados é semelhante ao de marsupiais descritos na literatura. 



Biografia do Autor

Luis Miguel Lobo, Pós-graduando Facundade de Medicina Veterinária e zootecnia da Universidade do Estado de São Paulo

Biólogo

Mestrando FMVZ-USP

Amilton Cesar dos Santos, Universidade do Estado de São Paulo

Biólogo

Doutorando FMVZ-USP

Ricardo Alexandre Rosa, Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos

Tecnico dos Laboratórios de Morfologia da UNIfeob

Carlos Eduardo Ambrósio, Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos -USP

Prof. Dr. FZEA- USP

Denis Cristiano Briane, Prof. Dr. Faculdades Integradas Claretianas-CEUCLAR

Biólogo

Prof. Dr. CEUCLAR

Gerlane Medeiros Costa, Prfa. Dra. Universidade do Estado do Mato Grosso-UNIMAT

Bióloga

Profa. Dra. UNIMAT

Ana Flávia de Carvalho, Profa. Dra. Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos

Profa. Dra. UNIfeob

Celina Almeida Furlanetto Mançanares, Profa. Dra Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos Pós-doutoranda FZEA-USP

Profa. Dra UNIfeob

Pós-doutoranda FZEA-USP

Downloads

Publicado

2013-12-04

Edição

Seção

Artigos