Características biológicas de Trichospilus diatraeae (Hymenoptera: Eulophidae) nos hospedeiros Bombyx mori (Lepidoptera: Bombycidae) e Diatraea saccharalis (Lepidoptera: Crambidae)

Autores

  • Vanessa Rodrigues Ferreira Calado Faculdade de Ciências Agrárias -FCA, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD
  • Fabricio Fagundes Pereira Faculdade de Ciências Biológicas e Ambiental - FCBA, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD
  • Elizangela Leite Vargas Faculdade de Ciências Agrárias -FCA, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD.
  • Daniele Fabiana Glaeser Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa Agropecuária Oeste.
  • Fabiana Garcia de Oliveira Faculdade de Ciências Biológicas e Ambiental-FCBA, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD.

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2014v27n1p71

Palavras-chave:

Controle biológico, Desempenho reprodutivo, Endoparasitoide

Resumo

Trichospilus diatraeae Cherian & Margabandhu, 1942 (Hymenoptera: Eulophidae) é um endoparasitoide pupal de lepidópteros e tem sido estudado como agente potencial no controle biológico de pragas. Para o desenvolvimento de técnicas de criação de parasitoides, é necessária a escolha do hospedeiro alternativo adequado, assim, o objetivo deste artigo é avaliar as características biológicas de T. diatraeae em relação aos hospedeiros Bombyx mori Linneaus (Lepidoptera: Bombycidae) e Diatraea saccharalis (Fabricius) (Lepidoptera: Crambidae), em laboratório. Doze pupas de B. mori e doze pupas D. saccharalis, com 72 e 24 h de vida, respectivamente, foram expostas ao parasitismo por 21 fêmeas parasitoides a 25 ± 1ºC, com umidade relativa de 70 ± 10% e fotofase de 14 h. A duração do ciclo de vida (ovo – adulto) de T. diatraeae foi de 19,44 ± 0,12 dias em pupas de D. saccharalis e 18,00 ± 0,05 dias em pupas de B. mori, a emergência de progênie do parasitoide foi 66,60% em pupas de D. saccharalis e 75,00% em pupas de B. mori. A progênie de T. diatraeae foi de 354,50 ± 43,21 por pupa de D. saccharalis e 469,11 ± 15,19 por pupa de B. moriTrichospilus diatraeae demonstrou adequabilidade ao hospedeiro e sua capacidade de parasitar diferentes hospedeiros.



Biografia do Autor

Vanessa Rodrigues Ferreira Calado, Faculdade de Ciências Agrárias -FCA, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD

Licenciada no Curso de Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS. Mestre no curso de Entomologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Federal da Grande Dourados-MS (UFGD), atualmente doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Agronomia (Produção Vegetal) na Universidade Federal da Grande Dourados - MS (UFGD). Linha de pesquisa: Controle Biológico de insetos-pragas.

Fabricio Fagundes Pereira, Faculdade de Ciências Biológicas e Ambiental - FCBA, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD

Graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) (2001), concluiu o Mestrado em Fitossanidade/Entomologia na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) (2003) e Doutorado em Entomologia na Universidade Federal de Viçosa (UFV) (2006). Concluiu o Pós-Doutorado em Entomologia/Controle Biológico de Insetos com Parasitoides na Universidade Federal de Viçosa (UFV) (2007). É Professor Adjunto II na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em entomologia agrícola e florestal. Atua principalmente nos seguintes temas: biologia de insetos, controle biológico de insetos agrícolas.

Elizangela Leite Vargas, Faculdade de Ciências Agrárias -FCA, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD.

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) (2000) e Mestrado em Entomologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) (2010). Atualmente é doutoranda em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Entomologia Agrícola, atuando principalmente nos seguintes temas: Manejo Integrado de Pragas e Controle Biológico com Parasitoides.

Daniele Fabiana Glaeser, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa Agropecuária Oeste.

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) , Mestrado e Doutorado em Agronomia- Produção Vegetal pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) (2011). Atualmente é pós-doutoranda na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) em Dourados, MS. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Entomologia Agrícola, atuando principalmente nos seguintes temas: Manejo Integrado de Pragas e Controle Biológico com Parasitoides.

Fabiana Garcia de Oliveira, Faculdade de Ciências Biológicas e Ambiental-FCBA, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD.

Graduação em Engenharia Agronômica pela Faculdade Anhanguera de Dourados - FAD, Dourados-MS (2009). Atualmente mestranda do Programa de Pós-Graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade da Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD. Atuando principalmente nos seguintes temas: Manejo Integrado de Pragas e Controle Biológico com Parasitoides.

Downloads

Publicado

2014-01-04

Edição

Seção

Artigos