Myxomycetes do estado de Alagoas (Brasil) e notas sobre sua distribuição

Autores

  • Andrea Carla Caldas Bezerra Universidade Federal de Pernambuco
  • Vitor Xavier Lima UFPE
  • Juciara Gouveia Tenório FABERJA
  • Laise Holanda Cavalcanti UFPE

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2014v27n3p13

Palavras-chave:

Caatinga, Corologia, Floresta Atlântica, Mixobiota

Resumo

O Estado de Alagoas, localizado na Região Nordeste do Brasil, abrange uma área de 27.767 km2 onde diferentes ecossistemas, incluindo manguezal e Floresta Atlântica na costa e caatinga no interior, são encontrados. A literatura relata a ocorrência de 43 espécies de Myxomycetes no Estado, as quais foram registradas em ambientes florestais úmidos ou em bagaço de cana de açúcar armazenado em indústria. Este estudo é o primeiro a registrar espécies de Didymiaceae e os gêneros Badhamia, Comatricha, Perichaena, Reticularia e Stemonaria para Alagoas. É apresentada uma chave para espécies. Licea succulenticola, Reticularia jurana e Stemonaria longa são novas referências para o bioma Caatinga. Licea succulenticola é registrada pela primeira vez no Brasil.

 

 

Biografia do Autor

Andrea Carla Caldas Bezerra, Universidade Federal de Pernambuco

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2000) e mestrado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília (2003), doutora em Microbiologia pela Universidade Federal de Pernambuco (2008). Especialista em Educação a Distância pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), na área de elaboração de materiais didáticos digitais em Educação a Distância (2010). Pós-doutorado pelos Programas de Pós-graduação em Biologia de Fungos (2008-2010) e Biologia Vegetal (2011) da UFPE. Revisor da Acta Botânica Brasilica. Tem experiência na área de Taxonomia e Ecologia de microrganismos; Atuando como pesquisadora principalmente nos seguintes temas: Microbiologia, Micologia, Myxomycetes. E na área da Educação:Microbiologia, Botânica Criptogâmica, Informática para Biólogos, Educação a Distância.

Vitor Xavier Lima, UFPE

Graduado em Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) (2011) e Mestre em Biologia de Fungos pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos (PPGBF) da UFPE. (2013). Atualmente doutorando do PPGBF. Possui experiência e trabalha atualmente com ecologia e taxonomia de Myxomycetes.

Juciara Gouveia Tenório, FABERJA

Possui graduação em Licenciatura em Ciências Habilitação em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores do Belo Jardim(1987), especialização em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores do Belo Jardim(2001), especialização em Morfologia pela Universidade Federal de Pernambuco(2004), especialização em Micologia pela Universidade Federal de Pernambuco(2006) e mestrado em Biologia de Fungos pela Universidade Federal de Pernambuco(2008). Atualmente é Professor efetivo da Faculdade de Formação de Professores do Belo Jardim. Atuando principalmente nos seguintes temas:Myxomycetes, Neotrópicos, microhabitats.

Laise Holanda Cavalcanti, UFPE

Bacharel em História Natural (1966) e Licenciada em Ciências (1967) pela Universidade Federal de Pernambuco, com Especializaçaõ em Taxonomia Vegetal e Fitogeografia pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1968), Mestrado (1974) e Doutorado (1979) em Ciências Biológicas -Botânica pela Universidade de São Paulo. Atualmente é Professor Titular em Botânica da Universidade Federal de Pernambuco e Pesquisador 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Tem experiência em ensino (graduação e pós-graduaçaõ), pesquisa e extensão na área de Botânica, com ênfase em Taxonomia de Criptógamos, atuando principalmente nos seguintes temas: Taxonomia e Ecologia de Myxomycetes, Plantas Medicinais e Etnobotânica

Publicado

2014-04-15

Edição

Seção

Artigos