Aspectos anátomo-radiográficos e tempo de trânsito gastrintestinal em jacaré tinga Caiman crocodilus crocodilus (Linnaeus, 1758) (Crocodylia, Alligatoridae)

Autores

  • Heloisa Castro Pereira Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres - Universidade Federal de Uberlândia
  • Juliana Macedo Magnino Silva Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres - Universidade Federal de Uberlândia.
  • Líria Queiroz Luz Hirano Universidade Federal de Goiás
  • Luiz Martins Da Silva Junior Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres - Universidade Federal de Uberlândia
  • André Luiz Quagliatto Santos Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres - Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2014v27n3p149

Palavras-chave:

Contraste, Crocodilianos, Radiografia, Reptilia, Trato digestório

Resumo

O interesse pela criação de jacarés em cativeiro tem aumentado no Brasil, no entanto, faltam estudos aprofundados sobre o tipo e a frequência de alimentação adequada destes répteis em cativeiro. Objetivou-se determinar os aspectos anátomo-radiográficos e o tempo de trânsito gastrintestinal do Caiman crocodilus crocodilus por meio de radiografias contrastadas. Os dez jacarés, cinco machos e cinco fêmeas, foram contidos fisicamente para a administração, via sonda orogástrica, de 10 ml/kg de suspensão de sulfato de bário e óleo mineral, na proporção de 70%: 30%, respectivamente. As radiografias foram realizadas em projeção dorso-ventral nos tempos de cinco minutos, e seis, 24, 30, 48, 54, 72, 80, 96, 104, 120, 130, 144 e 150 h após a administração do contraste. A técnica utilizada permitiu a visibilização da passagem do contraste, além de determinar o tempo de trânsito gastrintestinal em jacaré tinga. Verificou-se que a média do tempo de passagem do contraste pelo trato digestório desta espécie foi de 117 ± 29,6 h para fêmeas e 86,4 ± 21,5 h para os machos.


Biografia do Autor

Heloisa Castro Pereira, Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres - Universidade Federal de Uberlândia

Graduada em Medicina Veterinária, pela Universidade Federal de Uberlândia, atuando principalmente em projetos de pesquisa, clínica e cirurgia de Animais Selvagens. Atualmente Médica Veterinária na empresa Pentapharm do Brasil (DSM), como responsável técnica do biotério e serpentário.

Juliana Macedo Magnino Silva, Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres - Universidade Federal de Uberlândia.

Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Uberlândia (2009), com mestrado em Ciências Veterinárias na área de Saúde Animal pela mesma instituição (2012). Tem experiência em clínica, reabilitação, manejo e conservação de animais silvestres. Atuou como responsável técnica em resgates de fauna em obras de melhoria e pavimentação de estradas e em AHE (Aproveitamento Hidrelétrico).

Líria Queiroz Luz Hirano, Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em Medicina Veterinária (2008), especilização em Clinica Médica e Cirúrgica de Pesquenos Animais pelo Instituto Qualittas e Mestrado em Ciências Veterinárias na área de Saúde Animal (2011) pela Universidade Federal de Uberlândia. Atualmente, é doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ciência Animal na área de Patologia, Clínica e Cirurgia Animal pela Universidade Federal de Goiás.

Luiz Martins Da Silva Junior, Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres - Universidade Federal de Uberlândia

Médico Veterinário pela Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia (2010). Durante a graduação foi bolsista CNPq/PIBIC de 2007 a 2010, atuando principalmente nos seguintes temas: Morfologia, destacando a Anatomia Animal, Animais Silvestres, Diafanização, Aves e Répteis. Foi residente em Clínica dos Animais Domésticos pela Universidade Federal de Uberlândia no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia. Atualmente é residente em Clínica Médica de Animais de Companhia pelo MEC/MS no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia.

André Luiz Quagliatto Santos, Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres - Universidade Federal de Uberlândia

Graduado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Uberlândia (1983). Possui mestrado em Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres pela Universidade de São Paulo (1990) e doutorado em Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres pela Universidade de São Paulo (1992). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Uberlândia. Coordenador Técnico do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres (LAPAS) da UFU. Responsável pelo atendimento clínico a Animais Selvagens no Hospital Veterinário da UFU. Tem experiência na área de Morfologia, com ênfase em Anatomia Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: animais silvestres, anatomia, ontogenia óssea, contenção famacológica, répteis.

Downloads

Publicado

2014-03-27

Edição

Seção

Artigos