Florística e estrutura de um trecho de mata ciliar do rio Carinhanha, Feira da Mata, Bahia, Brasil

Autores

  • Francisco Sanches Gomes Universidade Federal da Bahia
  • Maria Lenise Guedes Universidade Federal da Bahia
  • Romeo Medeiros Valadão Universidade Federal da Bahia
  • Ana Raquel Prates Universidade Federal da Bahia
  • Maria Auxiliadora Costa Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2014v27n3p41

Palavras-chave:

Bacia do rio São Francisco, Cerrado, Diversidade

Resumo

O objetivo deste trabalho foi contribuir para o conhecimento da composição florística e estrutura da vegetação de um trecho de mata ciliar, às margens do rio Carinhanha, pertencente à bacia do rio São Francisco, em um fragmento de Cerrado lato sensu, em Feira da Mata, Bahia. Foram alocados quatro transectos de 50 m, equidistantes entre si, e 12 parcelas de 10 m x 25 m, distribuídas entre os transectos, totalizando 3.000 m2 (0,3 ha). Todos os indivíduos vivos e mortos com DAP ≥ 5 cm foram amostrados. No levantamento florístico, foram amostradas 105 espécies, 87 gêneros e 42 famílias. No estudo fitossociológico foram registrados 217 indivíduos distribuídos em 54 espécies, 49 gêneros e 29 famílias. A família com maior riqueza de espécies foi Fabaceae, que incluiu 24,07% do total de espécies amostradas. A espécie Oxandra reticulata Maas apresentou o maior valor de importância. A densidade foi 723 indivíduos.ha-1 e a área basal 14,52 m².ha-1. O índice de diversidade de Shannon-Wiener (H`) foi 3,62. O índice de Sørensen (Sø) evidenciou baixa similaridade com outros fragmentos de mata ciliar do Cerrado. Concluiu-se que a área estudada compartilha espécies com outras fisionomias do Cerrado e contém espécies da Caatinga, confirmando a heterogeneidade dessa formação.

Biografia do Autor

Francisco Sanches Gomes, Universidade Federal da Bahia

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Bahia (2011). Atualmente é estagiário da Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de Botânica e Ecologia, com ênfase em Fitossociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: florística, fitossociologia e ecologia de comunidades.

Maria Lenise Guedes, Universidade Federal da Bahia

Possui graduação em Ciencias Biologicas pela Universidade Federal da Bahia (1978) e mestrado em Taxonomia Vegetal e Fitossociologia pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1992). Atualmente é professor adjunto IV da Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Taxonomia de Fanerógamos, atuando principalmente nos seguintes temas: florística, bahia, fitossociologia, manguezal e plantas medicinais.

Romeo Medeiros Valadão, Universidade Federal da Bahia

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Bahia (2009). Atualmente é Técnico Ambiental da Equipe Multidisciplinar de Assessoria Técnica Social e Ambiental - ATES de Vitória da Conquista-BA, Convênio INCRA/SEAGRI/EBDA. Trabalhando com Extensão Rural em Assentamentos de Reforma Agrária do INCRA (2009 a atual). Tem experiência na área de Botânica e Ecologia.

Ana Raquel Prates, Universidade Federal da Bahia

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Bahia. Possui experiência na área de Botânica, com ênfase em Taxonomia de Fanerógamos, atuando principalmente nos seguintes tópicos: florística,fitossociologia, Bahia.

Maria Auxiliadora Costa, Universidade Federal da Bahia

Departamento de Botânica, área de Taxonomia e Ecologia.

Downloads

Publicado

2014-06-20

Edição

Seção

Artigos