Estimulação cortical e a dor neuropática

Cristiane Cagnoni Ramos, Fernanda Cardoso, Carlos Eduardo Malavasi Bruno, Juliana Shimara Ferrão, Joana Mona Pinto

Resumo


O presente trabalho é uma revisão de dados fisiológicos e comportamentais sobre a estimulação elétrica do córtex motor (ECM) e seu papel durante a dor neuropática persistente. A ECM tem sido amplamente utilizada na clínica médica como ferramenta para controle da dor que não respondem satisfatoriamente a nenhum tipo de analgesia convencional. Alguns importantes mecanismos envolvidos na modulação nociceptiva não foram, até o momento, esclarecidos. O objetivo deste estudo foi descrever os mecanismos envolvidos durante a dor neuropática e apresentar a eficiência da estimulação elétrica do córtex motor utilizada no tratamento desta doença. As vias ascendentes da dor são ativadas por receptores periféricos, onde há a transdução do estímulo químico, físico ou mecânico, em impulso nervoso, transmitindo este até a coluna posterior da medula espinal, onde ocorre conexão com neurônios de segunda ordem e ascendem à diferentes locais do sistema nervoso central, onde o estímulo periférico é percebido como dor. Por ser comprovada grande modulação deste sentido no córtex motor, vem sendo estudado o efeito da ECM para mimetizar os efeitos na pratica clinica e aperfeiçoar os tratamentos empregados durante a dor crônica. A ECM ganhou uma atenção especial nos últimos anos devido a sua ação em reverter quadros de dor neuropática de origem crônica, esta sendo mais eficiente do que a estimulação elétrica em diferentes locais e núcleos relacionados a dor.


Palavras-chave


Córtex motor; Dor neuropática; Estimulação elétrica; Nocicepção

Texto completo:

PDF/A (English)


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2015v28n2p1

Direitos autorais 2015 Cristiane Cagnoni Ramos, Fernanda Cardoso, Carlos Eduardo Malavasi Bruno, Juliana Shimara Ferrão, Joana Mona Pinto

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.