Estudo etnobotânico sobre plantas medicinais na comunidade de Curral Velho, Luís Correia, Piauí, Brasil

Jesus Rodrigues Lemos, Jairla Lima Araujo

Resumo


A utilização das plantas como medicamento no estado do Piauí tem sido uma prática comum que vem sendo transmitida de geração a geração. Este estudo teve por objetivo analisar o uso de plantas medicinais pelos moradores da comunidade Curral Velho, município de Luís Correia, norte do Piauí, contribuindo para o registro e a preservação do conhecimento botânico tradicional da comunidade estudada e, consequentemente, do estado. O levantamento das espécies vegetais utilizadas como recurso terapêutico foi realizado por meio de entrevistas com questionário semiestruturado aplicado a 38 informantes. As plantas foram coletadas para identificação científica. Foi determinado o valor de uso (VU), fator do consenso do informante (FCI) e importância relativa (IR) das espécies. Registraram-se 62 espécies, pertencentes a 38 famílias e 57 gêneros, com destaque para a família Fabaceae. Aristolochia triangularis, Petiveria alliaceae e Stachytarpheta cayennensis apresentaram os maiores valores de uso (VU = 3,0), sendo Turnera subulata a mais versátil. Dos 10 sistemas corporais identificados, os que apresentaram maior concentração de espécies medicinais estão relacionados a enfermidades mais corriqueiras como sinais gerais (inflamação, febre), doenças do aparelho respiratório e doenças do aparelho geniturinário. Esta pesquisa permitiu identificar alguns aspectos relevantes sobre o uso e o conhecimento de plantas medicinais na comunidade estudada. A diversidade de plantas medicinais conhecida e a obtenção das plantas na própria comunidade sugerem uma correlação entre uso/conhecimento de plantas medicinais e sua disponibilidade.


Palavras-chave


Importância relativa; Populações tradicionais; Valor de uso

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2015v28n2p125

Direitos autorais 2015 Jesus Rodrigues Lemos, Jairla Lima Araujo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.